quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Death disc: Pop aos que se foram

Astros que se foram na tenra idade, tornando-se instantaneamente lendas, foram muitos, mas James Dean é único. Sua morte trágica aos 24 anos em 1955 fez mais que transformá-lo em ícone, ajudou a firmar um estilo de vida.

Recebi um e-mail do Refer indo mais além. Ele relembra um subgênero musical que provavelmente, surgido na mesma época, teria relação direta com a comoção entre os jovens.

“No final dos anos 50 houve uma invasão de canções que falavam de morte, de matar e de morrer na música pop nos EUA; criou-se até um subgênero chamado ‘death disc’; não que fosse novidade, mas na época essas músicas mórbidas ligadas ao universo teen começaram a fazer grande sucesso e elas foram se multiplicando: ‘Teen Angel’ (Mark Dinning), ‘Tell Laura I Love You’ (Ray Peterson), ‘Last Kiss’ (Frank Wilson; é a mesma que fez sucesso com o Pearl Jam), ‘Ebony Eyes’ (Everly Bros) etc. etc.

A deprê foi tão grande que Bob Luman gravou ‘Let’s Think About Living’, justamente criticando essa onda macabra na música pop. Todas essas músicas podem ser achadas no You Tube, se tiver curiosidade.

A morte de James Dean pode ter estimulado de alguma forma a onda do death disc (que se estendeu até mais ou menos 1965, como um reflexo atrasado da comoção que o fato provocou). Há um legítimo death disc feito para James Dean, ‘A Young Man’s Gone’, de 1963, com os Beach Boys. A música foi escrita uns anos antes por Bobby Troup e o Mike Love, dos Beach Boys pôs nova letra.“

Ouça A Young Man’s Gone no player abaixou ou clicando aqui. Alerta ao horizonte cinzento que se abrirá!


Até o Girl Group The Shangri-las entrou na onda com “Leader Of The Pack”. Como falarei das fofas futuramente, deixo-as de lado por hora.

Interessante esse tom mais sombrio para um período fortemente marcado por sapatinhos cor de rosa e laçarotes de organza. Enfim, não se falava apenas de flores, inclusive os Beach Boys, famosos por músicas muito mais alegrinhas.

Para o Refer (grande estudioso de música) a melhor death disc é Nightmare, gravada por Whyte Boots, que não se encontra no You Tube. Em compensação, está lá a versão da compositora Lori Burton que você pode ouvir abaixo ou clicando aqui:


Burton a incluiu em Breakout, seu primeiro e único LP, lançado em 1966. Reeditado em 2005, é considerado um dos mais ousados entre a chuva de discos de meninas 60’s.

A foto dos Beach Boys é um oferecimento Classmatesmemorylane

Veja também:
Ele está entre nós!


[Ouvindo: What's The Use – The Pretty Things]

4 comentários:

Anônimo disse...

Gostei dessas músicas emo vintage.

Miguel Andrade disse...

Anônimo, tristeeeeza! haha!!!

Olha que os cabelinhos dos BB estavam bem pra emos mesmo!

Refer disse...

Quis dizer, Mike Love pôs uma NOVA letra; originalmente, a música se chama 'Their Hearts Were Full Of Spring' e foi gravada pelos Four Freshmen. Os BBoys copiavam o estilo vocal dos FFreshmen (assumidamente) e essa música estava no seu repertório antes de virar 'A Young Man's Gone'

Ah! o pop soul de Lori Burton e Pam Sawyer! The Whyte Boots na verdade não existiu, foi uma armação de Lori, Pam + músicos de estúdio, que tramaram uma cópia das Shangri-las.

Miguel Andrade disse...

Refer, arrumado!

Viu, encontrei muitos elogios a Lori Burton por aí. Vou pesquisar mais.

Related Posts with Thumbnails