segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Doris Day e Rock Hudson de 12 polegadas

E pra quem nunca viu lá muita graça nessas Barbies cinematográfica as de Confidências à Meia-Noite (Pillow Talk, 1959 de Michael Gordon). Não são apenas as roupinhas idênticas aos figurinos, mas as bonecas estão bem parecidas com Doris Day e Rock Hudson, um dos mais amáveis casais da tela.

Estão vestidas como os atores na sequência da festa, quando se conhecem. Na verdade ele reconhece que ela é a vizinha solteirona e chata que por uma falha da companhia telefônica tem sua linha cruzada com a dela.

Finge ser um caipirão e ela fica caidinha pelo moço simples, sem nem sonhar que trata-se do vizinho publicitário que passa horas ocupando a linha telefônica cantando todas as garotas de Manhattan. O final imagina-se fácil qual seja.

O filme pode parecer tolo contado assim, mas é gostoso quanto um sonho de valsa com seu papel celofane cor de rosa kitsch. O cenário é a Nova York do final dos 50, aquela mesma que idealizamos em tons pastel e mulheres de chapéu que parece cúpula de abajur.

Cheio de acertos, o elenco ainda tem como coadjuvantes Tony Randall e Thelma Ritter como a empregada pau d’água. E a música tema que a gente demora dias pra desapega-la da cabeça.

A primeira imagem é um oferecimento Daveland

[Ouvindo: Old Master Painter/You Are My Sunshine - Brian Wilson]


13 comentários:

DAVI VALLERIO disse...

nunca quis tanto ter reencarnacao retroativa em nova york como nos pasteis anos 50 ou na cintilante era disco

Miguel Andrade disse...

Davi, somos dois! Sonho com um daqueles sofás egg, TVs de pezinho, etc.

Até eu ficar adolescente meus sonhos tinham este colorido de Technicolor do final dos 50, inicio dos 60.

Leticia disse...

Você devia ver muita sessão da tarde quando criança, Miguel!

Também acho uma estética muito interessante. Destaque para o visual higieníssimo masculino, com direito a Acqua Velva. Mas de perto, sei não...

Miguel Andrade disse...

Letícia, via! Mas pra aprofundei no metié depois de véio.

Esse filme mesmo só conheci em DVD.

Pois é, de perto é aquela coisa idealizada, perfeita em excesso.

Refer disse...

Curioso, tive por muitos anos o mesmo objeto de idealização - na minha cabeça, o melhor lugar e época para se viver foi na Nova York do começo dos anos 60; o fetiche veio da série de TV Cidade Nua; então, a "minha" NY ideal é em p/b, quase deserta, com 8 milhões de histórias para contar e a música de Nelson Riddle.

Aqui, a introdução de um capítulo com Roddy McDovall!

http://www.youtube.com/watch?v=hdD3xrJnOm8&feature=related

Miguel Andrade disse...

Refer, isso passava na TV daqui na época? Aliás, vc assiste TV desde quando?


O Roddy McDowall!!! Que delícia até as musiquinhas incidentais.

Refer disse...

A TV (o aparelho) não era um bem muito acessível, pouca gente possuía. Chegou em casa em 1961, somente. Cidade Nua já estava no ar. Foi exibida por uns 3 ou 4 anos. O pessoal do cinema que estava despontando aparecia nos capítulos, Peter Fonda, Christopher Walken, Robert Duvall, Martin Sheen.

Leticia disse...

Não sei de perto, Miguel. Não creio que Rock Hudson fedesse, mas o homem normal com esse tipo de visu não podia comprar terno novo toda hora. Chegava em casa e botava pra arejar, sabe?

Como disse o Refer a respeito da tevê, também a máquina de lavar não era tão comum. Então, dá-lhe sereno pra refrescar as roupas...

E uma mulher para, de quando em quando, trocar punhos e golas puídas. Ou pelo menos costurar do avesso.

Miguel Andrade disse...

Refer, até pela memória fraquinha do país, acho um grande mistério todo o passado da TV.

TV e cinema. Só existe quase de 20 anos pra cá.

Por isso minha curiosidade.

Letícia, verdade. Ainda mais com todo mundo fumando em qualquer lugar.

Leticia disse...

Xi, ainda contando com a fumaça de cigarro...

Miguel Andrade disse...

Letícia, vc contava só com o suor? Imagino a defumação desses ternos...

Leticia disse...

Pombas! Já que não lavava nunca, devia ter todo um potencial amarelo. Já pensou isso de molho?

Miguel Andrade disse...

Letícia, sim! E com o sabão em pó pouco desenvolvido. Que vida!

Related Posts with Thumbnails