segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Casamento por conveniência

Revista Crazy de abril de 1978 sobre o casamento de Farrah Fawcett com Lee Major . Ela a dona do penteado mais invejado daquela época, ele célebre pelo seriado Cyborg, O Homem de Seis Milhões de Dólares.

A união deles foi de 1973 a 1982, fazia dois anos que ela havia estourado e logo depois picado mula de As Panteras (Charlie's Angels). Para serem satirizados como casal numa capa de revista ainda eram muito famosos.

As coisas eram menos efêmeras antes. Há a possibilidade de que era menos gente disputando qualquer frestinha de mídia com casa/separa e também a de que povo consumidor era mais seletivo.

A imagem é um oferecimento emailforstan

Veja também:
A 7 chaves: Rock Hudson e Lee Majors
Momento histórico da vida privada


[Ouvindo: Maraka- May East]


23 comentários:

DAVI VALLERIO disse...

Sera que a Farrah apanhava igual a Cher e a Tina?

Miguel Andrade disse...

Davi, não sei. Ele me pareceu meio ausente nos momentos difíceis.

Sei lá, era um casal tão marcante.

DAVI VALLERIO disse...

em compensacao o Ryan Oneil foi presente ate o fim...Love Story da vida real

Miguel Andrade disse...

Davi, sim! Oneill ao lado dela foi bem mais noticiado.

Leticia disse...

Bem, as modas voltam, né?

Normalmente eu não daria dois anos pra esse escovão voltar, mas acho meio impossível pós-meleca obrigatória nos cabelos.

Miguel Andrade disse...

Letícia, tem umas famosas já em reclames de tintura com o cabelo mais solto. É um sinal...

Daniel Tavernaro disse...

Outro dia vi uma foto da Sarah-Jessica Parker num evento, com aquele cabelo volumoso na frente, parecendo a Celine Dion na era brega (não que hoje ela não seja mais). Se forem seguir a moda cronologicamente como já foi, o cabelo Farrah vem já já!

Miguel Andrade disse...

Daniel, vem! Tomado como uma grande novidade, já que esse povo tem uma memória fraquinha, fraquinha.

Leticia disse...

Exato, Miguel. Postei sobre o Marcos Plonka lá em casa, indignada com a amnésia não do povo, mas a do jornalismo.

Voltando ao cabelo, outro dia me detive numa loja de cosméticos pra comprar um creme de descanso à noite (sim, estou com um cabelão rebelde), e fiquei pasmada com a quantidade de ceras nojentas à venda.

Mesmo que os cabelos soltos (leia-se: limpos) voltem logo logo, tem a inércia da massa, que ainda vai usar essas gosmas por uns dez anos até se tocar que a moda mudou.

Miguel Andrade disse...

Letícia, acabai de escrever isso no outro coment. Pra essa gente o mundo parece só existir de 20 anos pra cá.

Pelo menos com os cabelos ensebados voltamos ao renascentismo.

Daniel Tavernaro disse...

Gente, eu uso cera, gel e essas coisas todas pra mater um topete... Posso me excluir desse tópico? Rsrsrsrs

Refer disse...

Sei não... acho que cabelão para mulher jovem é igual a Mafalda Minnozzi: veio pra ficar!

Já viram saída de cursinho?
"Milhões" de garotas e não se vê uma sequer de cabelo curto.

Miguel Andrade disse...

Daniel, uso com moderação. Se bem que às vezes só isso pra dar jeito.

Refer, sim!!!! Todas uniformizadas no cabelo.

Faz parte da síndrome de manada.

Leticia disse...

Pode, Daniel. É que essas coisas mudam. Antigamente era gomalina, depois veio o gelzão (anos 80) e agora essas ceras, que algumas meninas abusam e dão um aspecto só sujo ao cabelo.

Tenho implicância porque acho que o cabelo tem de respirar. Eu, p. ex., não aguento muito tempo cabelo com algum finalizador. Chego em casa e, por mais tarde que seja, enfio ele debaixo do chuveiro.

Refer, é que temos o mito da Iracema, da Bartira, sei lá quem, de que cabelo comprido "prende" homem. Coisas amazônicas...

Miguel Andrade disse...

Letícia, mas a sinhá tem um cabelo mega ultra super liso! Quem me dera...

Daniel Tavernaro disse...

Mas..... Quando usam essas paradas no cabelo, as pessoas não o lavam todo dia não? porque se eu não tirar em 1 dia, fica difícil viu... Além da coceira, fica aquele aspecto de "vendedor de pastel de feira que não usa toca", rs.

Miguel Andrade disse...

Daniel, mas a gente é homem. Lava o cabelo todo dia.

Mulher é diferente. Vendedoras de pastel! Haha

Refer disse...

Costumo usar uma expressão parecida... porém, para óculos.

Chamo óculos sujos de "óculos de fritar pastel".

Já repararam em óculos de pasteleiro? PQP! São camadas de gordura que dão para encher o cárter de um FNM.

Miguel Andrade disse...

Refer, já observou os funcionários do Habibis patinando lá dentro? PQP!!!

Leticia disse...

Miguel, meu anjo, se simplesmente lavar com shampoo e condicionador e não fizer mais nada, fica uma vassoura... Como tenho preguiça, ou uma escovada com escova redonda quando está quase seco. E passo uma gororoba nas pontas. Mas aí, depois, tem de lavar.

Daniel Tavernaro, cê não realiza os que as pessoas fazem pra economizar cabeleireiro. Tem gente que passa 15 dias...

Ah, os óculos... Tem dias que é bom entrar no chuveiro com ele.

Miguel, já percebeu o cheiro do NOSSO cabelo quando saímos do Habibs?

Miguel Andrade disse...

Letícia, não! Tenho cumprido minha jura de nunca mais botar os pés naquele lugar.

Sempre tem um pipino. Ou o copo tá lascado, ou o pedido tá errado, ou o atendimento demora.

Já fiquei 1h25 esperando e veio errado, depois foi o troco errado. Então, nunca mais voltei.

Leticia disse...

O Habibs é a última parada da fome, meu filho! Só se vai lá depois que o mundo acabou.

Miguel Andrade disse...

Letícia, eu mesmo com o fim do mundo foi pensar antes em canibalismo. Tô fora!

Related Posts with Thumbnails