quinta-feira, 25 de agosto de 2011

R.I.P. Jimmy Sangster

Faleceu na última sexta-feira (19) um dos nomes mais importantes do lendário estúdio britânico Hammer. Jimmy Sangster foi diretor, produtor e principalmente roteirista dos filmes que mudaram uma geração.

Principalmente seu texto para (foto maior) A Maldição de Frankenstein (The Curse of Frankenstein, 1957 de Terence Fisher) que não só revitalizou os monstros da literatura clássica, então relegados por Hollywood em prol dos atômicos, como redefiniu o cinema de horror. O fator medo (em cores!) voltou a ser refinado com personagens ambíguos.

Christopher Lee (que logo depois seria o Drácula oficial da Hammer) como a criatura remontada a partir dos mortos é um pobre coitado digna de pena. Peter Cushing, que seria o barão de Frankenstein tantas outras vezes, é a insanidade contida diante do poder da criação à sua imagem e semelhança.

Também é de Sangster os roteiros de Nas garras do Ódio (Ther Nanny, 1965 de Seth Holt) e O Aniversário (The Anniversary, 1966 de Roy Ward Baker), as duas incursões de Bette Davis no estúdio. A partir dos anos 70 ele passou a dirigir, com sua casa profissional já distante dos tempos áureos.

Assinou Luxúria dos Vampiros (Lust for a Vampire, 1971), segunda parte da Trilogia de Karnstein e outros dois filmes. Manteve-se trabalhando até 2000, apenas como roteirista.

[Ouvindo: After The Lights Go Down Low - Ann Margret]

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails