quinta-feira, 28 de julho de 2011

Estranhos hábitos das venusianas

Feliz em mostrar minha cena favorita de Viagem Ao Planeta das Mulheres Selvagens (Voyage to the Planet of Prehistoric Women, 1968 de Derek Thomas). O ritual em que a grande rainha Moana elege novo deus para adoração.

Moana é interpretada pela memorável Mamie Van Doren, mais conhecida com a Marilyn Monroe dos pobres e estrela de vários filmes B sobre delinquentes juvenis. No Sci-fi em questão, teve a chance de liderar um exército de garotas usando perucas de canicalon loiras!

Encantadora a seriedade com que todas interpretam, provavelmente acreditando ser esta a grande chance de suas carreiras. Inclusive quando a rainha é coroada com um tipo de chapéu de mestre cuca!!!!

Mais importante que contar a sinopse deste filme (que faz muito pouco sentido) é entender sua existência. Os americanos editaram a ficção científica Voyage to the Prehistoric Planet (1965) com o soviético Planet Bur (1962), incluindo vozes em inglês, atores e muitas outras imagens de arquivo e lançaram este outro em 1968.

A tripulação da espaçonave que sai da Terra em “1998” é composta por atores norte-americanos. Os astronautas perdidos no misterioso planeta são russos filmados depois, com visível mudança de cor na fotografia desbotada, por tanto, jamais se encontrarão por razões óbvias.

As cenas com Mamie Van Doren e suas beldades parecem ser sobras de um terceiro filme já que a liga delas com os astronautas é sempre por vias esquisitas. Um dos terráqueos encontra uma pedra com rosto de mulher, o que os leva a crer na possibilidade de Vênus ser habitado.

As venusianas são religiosamente fiéis a um pterodátilo gigante de papier mâché. Um bicho pré-histórico semelhante (mas que é pra gente acreditar que se trata do mesmo!) ataca e é morto pelos astronautas o que deixa as louras furiosas ameaçando uma guerra interplanetária que também por razões óbvias jamais acontecerá.

Por serem um povo bastante evoluído (embora vivam dormindo ao relento em cima de pedras) elas não falam. Não como todo mundo, mexendo a boca, mas apenas por telepatia!

Confuso? Esse samba do russo doido não é fácil pra ninguém, e precisa de certa paciência pra chegar ao fim, embora todo momento vejamos coisas de humor involuntário e até difíceis de serem acreditadas.

Como se nada disso bastasse, o tal diretor Derek Thomas é na verdade pseudônimo do agora consagrado Peter Bogdanovich. Anos depois desta barbaridade ele foi indicado a dois Oscares por A Última Sessão de Cinema (The Last Picture Show).

Assista (se for capaz) ao trecho legendado de Viagem Ao Planeta das Mulheres Selvagens no player acima ou clicando aqui.

Veja também:
Mamie Van Doren: A trajetória da Marilyn dos pobres


[Ouvindo: Theme for Young Lovers - Percy Faith & his Orchestra]

2 comentários:

Glauco disse...

Que pérola hein! Miguel, já teve a opotunidade de conferir o Sci-fi mexicanos dos anos 60?

Miguel Andrade disse...

Glauco, tenho alguns aqui mas ainda não vi. Vi um mexicano 50's de vampiro outro dia.

Tolinho, mas com atmosfera legal.

Related Posts with Thumbnails