segunda-feira, 20 de junho de 2011

R.I.P. Wilza Carla

Teria falecido no último dia 18 (sábado) a atriz e ex-vedete Wilza Carla aos 75 anos. Bem triste uma artista que em seus últimos anos além de ter precisado mendigar atenção da mídia, teve seu falecimento cheio de desencontros.

Apenas (pasme!) a revista Quem e O Fuxico noticiaram sua morte. Figura carnavalesca em todos os sentidos, Carla ficou célebre ao aparecer em incontáveis filmes picantes e em telenovelas.

Seu personagem mais marcante talvez seja a Dona Redonda de Saramandaia (1976), que de tão gorda acabou explodindo no último capítulo. Chegou a participar de programas de calouro como jurada, principalmente quando veio a público sua debilidade física.

Pessoalmente lembro mais dela como a dona do livro “Os Mistérios de Salamandra” roubado por Tina Pepper (Regina Casé) em Cambalacho (1986). Que descanse em paz.

A imagem é um oferecimento do finado site The Blitz Kids

21 comentários:

Tchia Deslogada disse...

75 anos?? Só?? Na década de 80 ela já estava idosa e acabadona, coitada.

Miguel Andrade disse...

Tchia, também estranhei isso... Bem mais amargo (se for verdade), que ela era nova quando pedia emprego.

Dino Costa disse...

Cambalacho!! Eu nem tinha idéia que era ela a dona do livro...muito triste mesmo que ela tenha morrido e passado seus últimos anos na pindaíba.

Leticia disse...

Miguel, fizemos posts com títulos iguais. Evito o "RIP", mas hoje não deu.

O que mais me comove é que WC está sendo sepultada no Caju. Expliquei lá em casa que, se não me mexer, meu destino geográfico será o mesmo.

Ou seja: é pra nunca mais. Ninguém vai me visitar.

Miguel Andrade disse...

Dino, pois é! Aqui as pessoas são super descartáveis.

Letícia, onde fica o Caju? Longe pra burro?

DAVI VALLERIO disse...

Fui num velorio uma vez nesse cemiterio do Caju uma amiga da minha mãe,estilo hippie velha, super maconheira,dai num certo momento,dois ou tres amigos resolveram fumar um por ali nas lapides e fui acompanhar.Quando demos conta estavamos sentados ao lado da lapide do Pedro de Lara e vizinho do Moreira da Silva.Momento risos num dia triste.

Miguel Andrade disse...

Davi, Hahahahaha!

Leticia disse...

Davi Vallerio, achei que você ia contar sobre alguma aparição mais corriqueira...

Miguel, o Caju é um cemitério imponente, numa região do Rio bastante interessante. Mas é um canto, cheio de marginais. Já quando eu morava lá era meio barra de ir. E olha que minha família no Rio (que é imensa) está enterrada em peso no Caju.

Miguel Andrade disse...

Letícia, entendi. Pensei ter lido que ela estava vivendo em SP.

Anônimo disse...

eu sempre achei ela uma versão brasileira da Divine. até acessei o blog imaginando que vc falaria alguma coisa...

Miguel Andrade disse...

Anônimo, rs! Não acho... Nada além do peso... Ou do deboche! Tem uma outra que acho mais a alma da Divine: Vic Militello!

Glauco disse...

Para mim, a versão brasileira da Divine foi a Laura de Vison...

Pobre Wilza, mês passado assisti um filme com ela, bem fraquinho por sinal, dos tempos em que era vedete e foi eleita Rainha do Carnaval.

Minhas lembranças delan a infância são as edições especiais de Manchete para o carnaval, sempre trazia fotos dela nos concursos de fantasias, acompanhada de sua então pequenina filha.

Miguel Andrade disse...

Glauco, por onde tu anda?

Pode ser a Laura de Vison, mas também é obvio demais...

E pobre Wilza mesmo. Tô até hoje tentando entender essa sina de muitas como ela.

Glauco disse...

Ah Miguel, por aí, mas sempre de olho no Cidadão Quem...

Olha o que eu acabei de achar: wilza e Rock Hudson!!!

http://wilzacarla.blogspot.com/2010/05/rock-hudson-carnaval-1958.html

Miguel Andrade disse...

Glauco, no "La Dolce Vita" você quer dizer... :D

Legal esse link. E ela já estava ganhando uns quilinhos.

Glauco disse...

Sim, claro que me referia ao La Dolce Vita!

Mas ela nunca foi das mais magrinhas não, mesmo para os padrões violões doa anos 50, sempre teve esses quilinhos. Em 1958 estava no auge!

Miguel Andrade disse...

Glauco, nenhuma era das magrinhas. Aliás, nenhuma é.

Fiquei meio aborrecidinho com esse fim dela.

Leticia disse...

Glauco e Miguel, entrei lá no blog. Ele não é atualizado faz tempo! Nem uma palavra sobre a morte.

Fico pensando na cabeça dos fãs religiosos quando o ídolo morre. Acho aterrorizante!

Como uma colega de cursinho quando o John Lennon morreu. A menina era fissurada, coisa de vir cada dia com uma camiseta do cara. No dia seguinte à morte dele ela estava lá, tranquila. Tive medo de ir falar com ela...

Miguel Andrade disse...

Letícia, curioso como ela sempre teve fãs na web... Poucos mas teve.

Lembro a primeira vez que falei dela aqui. Há quase dez anos.

Internet era aquela coisa ainda meio solene de "para pucos". Talvez o sistema de comentários que eu usava na época não exista mais, mas gerou certa polêmica.

E eu só estava recordando ela (sumida), mostrando um site em flash feito por um fã.

Enfim, não compreendo fãs muito cegos de gente viva.

Me aborreci um pouco a mais com a morte recente de Ingrid Pitt pq havia perdido a Glenda não fazia muito tempo.

Filmes com a Ingrid Pitt fizeram parte de um período da minha vida. Deu aquela sensação bizarra da vida estar mudando muito rápido de um dia pro outro.

Leticia disse...

Bem particular...

Miguel Andrade disse...

Letícia, iéis!

Related Posts with Thumbnails