quarta-feira, 22 de junho de 2011

Quindins de Iaiá

Morro de rir (pra não chorar) quando ilustram matérias jornalísticas sobre Carmen Miranda com essa cena de “Você Já foi à Bahia?” (The Three Caballeros, 1944). E isso acontece o tempo todo!

Enfim, AURORA Miranda, dividiu a capa da Collier’s com Pato Donald e Zé Carioca em 1945 pra divulgar o filme. Nele foi creditada como ”Aurora Miranda of Brazil”, não é fino?

Depois da invenção do IMDB, pecadinhos destes são imperdoáveis. Contaram-me que esta semana a revista Caras tropeçou horrorosamente ao noticiar o encontro de Hebe com Morgan Freeman.

Até Oscar por Conduzindo Miss Daisy (Driving Miss Daisy , 1989 de Bruce Beresford) ele teria levado! Não ter diploma tá ok (ainda mais pra alguns tipos de publicações), mas não saber buscar na Internet...

A capa é um oferecimento Paul.Malon

[Ouvindo: The Melody Of A Fallen Tree - Windsor For The Derby]

17 comentários:

Leticia disse...

Ninguém morre por ser ignorante e inexperiente.

Mas um poucquinho de cuidado deveria fazer parte da inteligência primitiva do ser humano, não?

Esta semana li no Estadão que Dom & Ravel eram "dupla caipira". Imaginando a carinha de quem concluiu isso por conta própria e tascou lá, com toda a grosseria de sua concepção de vida.

Anônimo disse...

ACONTECE mesmo e eu sou prova vivíssima disso. Passei a infância toda pensando que a "baiana" do filme do Pato Donald era a Carmen Miranda!

Miguel Andrade disse...

Letícia, não mesmo! Mas o mínimo de esforço não faz mal a ninguém.

Hoje é tão fácil reparar errinhos destes. Pelo que me contaram eram 4 ou 5 deslizes numa mesma frase.

Anônimo, pois é! Mas quando a gente era criança não havia IMDB. Eu tive dúvidas da identidade por um bom tempo também.

Mas eu não era jornalista nem nada. Era mera curiosidade de moleque que vida desenhos nas manhãs de domingo da Globo.

A gente fica naquelas de que se com uma bobagem dessas jornalistas se atrapalham, imagina com temas mais cabeludos, com fontes duvidosas...

Refer disse...

Pense pelo lado bom...

Podia ser pior! Por exemplo, o jornalista confundir AURORA com SULA Miranda.

Miguel Andrade disse...

Refer, se tivesse algo rosa é bem capaz! Haha!

Daniel Tavernaro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Tavernaro disse...

Assisti há poucos meses o filme e nem pensei em Carmem Miranda. Lembra bastante, logicamente, mas tinha certeza que não era ela - só não sabia quem era, hihih. Legal ver que a estratégia de marketing foi ótima: um filme para lidar com a política de boa vizinhança para todos os países importantes da época na América Latina teve um nome traduzido aqui como se falasse do Brasil. Será que no México ele se chamou "Você já foi a Acapulco?" Rsrsrs.

Mas tem aquele outro filme em que o Pato Donald enche a cara na marvada com o Zé Carioca!

Outra contradição do filme que falamos no tópico: o Zé "Carioca" apresenta uma cidade que de carioca nada tem, rsrsrsr. E ele fala com conhecimento de causa!

Mas colocar um "Of Brazil" no final do nome dá um "quê" de luxo e também aumenta o tropicalismo. Salomé De Bahia (essa melhorou ainda mais, rsrsrs), um dos melhores ritmos/estilos que ouvi na vida, que o diga!

Miguel Andrade disse...

Daniel, e a tal política da boa vizinha deu tão certo que até hoje eles nos idealizam daquele jeito. Um povo alegre e brincalhão, que anda pelas ladeiras requebrando.

Ah, e o Zé Carioca é um personagem que pegou muito mais pra gente que pra eles.

Leticia disse...

Sabe que acho que o brasileiro passou a acreditar nisso fervorosamente?

Acredito que nossa cordialidade é muito mais uma mistura de solidão misturada com temor do "dotô".

No fundo, no fundo somos escravos tristes, mas safos.

Pronto, falei!

Miguel Andrade disse...

Letícia, hahahaha! No fundo, nem tão no fundo...

A postura escravista ainda é gritante e passa de pai pra filho. Preservam a postura de quem é possuídos por senhores, por exemplo.

"Possuídos" no sentido de posse mesmo. rs

Charles Bonares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Charles Bonares disse...

Sabe que a Carmen estava escalada pra estrelar esse filme, mas a Paramount não a deixou por quebra de contrato? Seria o único filme razoável (fora do Brasil) que ela faria na vida.

Miguel Andrade disse...

Charles, acho que já vi a Aurora comentando isso num documentário.

Gravaram sua participação na garagem da casa dela em Beverly Hills. Incrível como o resultado final ficou tão bom.

Carmen era da Fox, não? Ela foi pra Hollywood já poderosa e bem conhecida dos shows. Pq se dependesse apenas dos filmes...

Daniel Tavernaro disse...

Acabei de ver num outro blog que essa Aurora era (ou é, rs?) irmã da Carmen! Corri aqui! E parece que o autor tem sim cacife para citar tal coisa...

http://www.ovadiasaadia.com.br/mauriciokus.cfm?id=qasRc&n1&CFID=1976385&CFTOKEN=37765517

(o blog é bem legal. O cara fala da própria vivência e tals, pra ser sincero, é um complemento recém-descoberto ao seu blog, Miguel, pelo menos para mim, leigo em muita coisa, rs!)

Miguel Andrade disse...

Daniel,legal! Obrigado. Vou lá ver.

Pensei que fosse claro que elas eram irmãs...

Daniel Tavernaro disse...

Medalha "retardado do post" aceita, hahahaha

Miguel Andrade disse...

Daniel, hahahaha!!! Acontece.

Related Posts with Thumbnails