terça-feira, 10 de maio de 2011

Bem-vindo à vinícola Coppola

E Francis Ford Coppola transformou sua vinícola numa tipo de Coppolandia. Menos dor de cabeça que fazer filmes, coisa que ele jura só fazer agora se tiver algo que sinta realmente necessidade de contar.

Enquanto isso vai mesclando produções de películas bem menos ostentosas com a produção de vinhos. Seu empreendimento é aberto a visitas e conta até com eventos comemorativos e um Flickr oficial.

Entre as atrações, além das videiras (óbvio!), estão figurinos e adereços cenográficos que vimos no cinema. Coisinhas como os rebuscados figurinos de Drácula de Bram Stoker (1992), feitos por Eiko Ishioka.

E um dos únicos carros existentes produzidos por Preston Tucker, cuja história foi mostrada por Coppola em Tucker - Um Homem E Seu Sonho (Tucker: The Man and His Dream, 1988). Dos 51 Tuckers produzidos, George Lucas e Coppola possuem 2 cada.

Outra atração é a prateleirinha de prêmios que o diretor conquistou. Só de Oscar são 5, entre roteiro, direção e produção.

Pelo menos não estão decorando a lareira da casa dele, não? Vi Shirley MacLaine outro dia mostrando a sua casa ao programa da Oprah.

Na hora da lareira mostrou o Oscar e inúmeros outros prêmios que definiu como Oscar francês, Oscar Alemão, etc. Ela foi a Cannes e Berlim, mas achou que estava no Chinese Theatre!

Ainda terminou dizendo se modéstia que Globo de Ouro deve ter mais uns 5 ou 6 que não sabe aonde foram parar. Acho que foram abduzidos por aliens...

As duas últimas fotos são um oferecimento PappyV

8 comentários:

Refer disse...

Quando Tucker foi exibido li (creio que na Folha de S.Paulo) que havia um Tucker inteirinho guardado na garagem de um colecionador no interior de São Paulo. Alguém lembra dessa história?

Miguel Andrade disse...

Refer, eu não lembro. Será que ainda existe esse Tucker no Brasil?

Leticia disse...

Vinícolas estão é virando atrações turísticas. Vinho mesmo, ó, pffff!

Até porque, com esse boom todo, entre mil que dizem entender de vinhos, apenas um está sendo consciente do que diz.

Se há até vinhos falsificados que foram bebidos na boa nos EUA até a fraude ser descoberta?... Sim, ouvi na CBN esta semana.

Miguel Andrade disse...

Letícia, já vi um vinho Coppola num supermercado ~chique~ desta província em que resido. Rótulo envelhecido, muito fino!

Aaaaaah, imagina no Brasil o quanto de fakes estão nas boas mesas! Rs

O que eu fico puto com falsificações é a cara de pau de cobrar o mesmo que um original. Até cigarro já comprei em lugares bacanas e tive a sensação de que era falso.

Refer disse...

No Brasil se falsifica de tudo: de revista PlayBoy a (bombom) Sonho de Valsa.

Paraguay is here!

Miguel Andrade disse...

Refer, menino! Quando você contou o lance das revistas eu fiquei BOBO! Nunca imaginei que isso fosse possível.

Leticia disse...

Do pouco que sei sobre vinhos, aprendi o seguinte: tem de ser honesto, que até pode ser bom em sua categoria. Nem que seja de uvas não identificadas.

O que gera falsificações é a ignorância pretensiosa. Até grandes bodegas às vezes vendem restolho de uvas a preço de grande coisa. Pra quem não conhece e escolhe pelo prazer, é melhor ser mais humilde no assunto.

Miguel Andrade disse...

Letícia, com certeza. Menos risco. Inclusive financeiro.

Related Posts with Thumbnails