segunda-feira, 25 de abril de 2011

Pelo glamour das coisas simples

Quem desconhece o que é rir com o coração precisa assistir a Meu Tio (Mon Oncle, 1958 de Jacques Tati)! Afronta a toda pompa e circunstância que o dinheiro pode comprar.

Essa cena específica em que o casal new rich prepara uma festinha e confunde a primeira convidada com um vendedor de tapetes! A moça dos pés à cabeça com a mais alta costura parisiense...

Detalhe que até desligaram o chafariz de peixe, crentes que se tratava mesmo de um mascate. Só gente ilustre merece ver aquele peixe de metal jorrando água!

Entre as almas livres, Monsieur Hulot (o tio, claro!), o menino e Duque, o daschund de roupinha com padronagem kilt. O melhor momento do dia pro salsichinha é quando anda solto pelas ruas, na companhia de um bando de vira-latas.

[Ouvindo: Never There - Cake]

14 comentários:

Glauco disse...

Um clássico de cabeceira. AMO!!!

Miguel Andrade disse...

Glauco, de se assistir sem parar pro resto da vida! Levanta meu animo.

Refer disse...

'Meu Tio' é um dos poucos filmes da época que me lembro bem.

A música-tema versão em português fez um baita sucesso no Brasil, teve várias gravações.

Miguel Andrade disse...

Refer, olha como os tempos eram outros mesmo. Pro tema de um filme destes ser sucesso aqui...

Leticia disse...

Não lembrava. Fui procurar e... Conjunto Farroupilha.

Miguel Andrade disse...

Letícia, barbaridade!

Refer disse...

Me lembro de 'Meu Tio' tocando no rádio com Lurdinha Felix, Regina Célia e Titulares do Ritmo, além da gravação do Conjunto Farroupilha.

Acho que a mais tocada em São Paulo foi a de Regina Célia, uma cantorinha que tinha sotaque do Brás mais "heavy" que o de Isaura Garcia.

Miguel Andrade disse...

Refer, caramba! Tantas regravações? Assim que minha conexão melhorar vou tentar achar.

Refer disse...

Acabei de mandar para ti 'Meu tio' com Regina Célia, por email.

Leticia disse...

Achei algo de Regina Célia (não conhecia) e dou graças a Deus pela globalização, que anda arrasando com as grandes panelas sotaquísticas.

Miguel Andrade disse...

Refer, recebi e já te respondi!

Letícia, pq? Não ouvi ainda!

Miguel Andrade disse...

Aaaaaaaaaaah! Amei... Um primor de ingenuidade. Com os erres e esses super bem pronunciados. "Tem que ser meiga pra ser feliz".

Refer disse...

A Regina Célia fez muito sucesso em SPaulo (fenômeno regional) na fase pré-jovem guarda. Era muito menina, tinha então uns 13/14 anos. Foi seriamente cogitada para comandar o programa Jovem Guarda na TV Record, ao lado de Roberto e Erasmo, até porque ela tem um parentesco distante com Paulo Machado de Carvalho.

O sotaque cheio de SSs e RRs é típico do Brás e adjacências. Vai ver foi isso justamente o que a afastou da Jovem Guarda. Who knows?

Miguel Andrade disse...

Refer, mas até as dublagens da época eram assim. Super bem pronunciadas.

A principio pensei que fosse aquela menininha Maria Regina, sabe? Fiz até um post certa vez.

Related Posts with Thumbnails