sexta-feira, 18 de março de 2011

“Meu nenê estampa embalagem!”

Ai que fofo! Ai que maldade! Hahahahaha!!!

Qual será a associação de quem aprova papel higiênico e bebês? E penso em papel higiênico e lembro de Primavera e sua guriazinha loira de chapeuzinho vermelho.

Tai um jingle feliz. Entre as pouquíssimas músicas que sei cantar de cabeça está ele!
O dele e o do café Seleto (“que a mamãe prepara, chamando os vizinhos...”). Embora não compre o produto, o que nos remete aquele outro post...

E por muito tempo senti vergonha de comprar papel higiênico, aka “papel-pa-cu”. Como se fosse produto exclusivo pra mim!

Agora compro normalmente, mas confesso constrangimento em colocar no carrinho. Principalmente se for um daqueles fardos gigantescos que tem agora.

E nem olho nos olhos da caixa... C'est la vie!

Foto é um oferecimento Roadsidepictures

[Ouvindo: Florecita – Simo Damiron]

12 comentários:

Refer disse...

Ah, é? A próxima vez que d.Célia me mandar comprar Modess, vou pedir pra vc comprar pra mim, pra tu saber o que é constrangimento!

A mocinha da farmácia vai te olhar de meio perfil, com um sorrisinho no canto da boca (que só mocinhas de farmácia sabem dar, as putanas) na hora de perguntar "o tipo" e "o tamanho", em voz alta.

Aí vc responde baixinho, e ela repete o que vc disse, em forma de pergunta, em voz mais alta ainda: "COMO? O Sr. QUER TAMANHO 'G'??"

É por essas e outras que eu nunca ando armado...

Miguel Andrade disse...

Refer, Modess é outra coisa!!! Fui uma vez comprar e além da vergonha fiquei zonzo com a variedade que existe.

Refer disse...

Então — é aí, quando vc está confuso, com a guarda baixa, que a mocinha da farmácia chega com o 'posso ajudar?'.

No final, ela aponta dizendo (sempre em voz alta) 'É AQUELE COR-DE-ROSA, O QUE O SR. QUER!'

E aí vc, com aquele pacote cor-de-rosa bandeiroso na mão faz uma longa viagem até o caixa.

Miguel Andrade disse...

Refer, Bandeiroso e cheiroso, bem típico! hahahah!

djalma disse...

Refer falou na longa viagem até o caixa, lembrei de algo curioso do Supermercado Master (fica dentro do Shopping Frei Caneca): as prateleiras de papel higiênico ficam num corredor bem em frente aos caixas. Posição estratégica: a bunita vai lá, pega o Papel Fofura ou a Lixa Primavera e corre pro primeiro caixa que estiver livre, torcendo pra não ser vista por uma paquera em potencial.

Já tive vergonha de comprar papel, mas passou... claro que nunca compro aqueles pacotes com 60 rolos, e sempre uso a estratégica saída pra rua lateral. Afinal, cruzar shopping com pacotão de Lixa Primavera debaixo do braço, quem curte?

Ah, e felizmente nunca comprei absorvente. Já um amigo meu compra para as TRÊS irmãs, hahaha

Miguel Andrade disse...

Djalma, não sabia dessa peculiaridade da farmácia dentro do Shopping da Gay Caneca.

Falando nisso, sempre observo o que as pessoas levam em farmácia. À noite acho estranho quem leva gel vagabundo para cabelo, sendo que tem cabelo raspado.

Vi tal coisa umas duas vezes. Teoria da minha mente suja: KY está caro...

djalma disse...

Farmácia, não, supermercado mesmo! Fica no piso de serviços do Gay Caneca. Inclusive fui lá hoje e -adivinha!- comprei um pacote de Neve 50m (rolo mais comprido significa menos compras).

KY? Olha, tenho um causo verídico de 2005. Numa farmácia da rua Augusta, no lado chique (sic), fiz um gracejo com quem estava comigo "aposto que KY vive em falta nesse pedaço", afinal, né? Jardins, rua Augusta, etc e tal. Fomos ver e BATATA: farmácia gigantesca estilo blockbuster, dezenas de metros de prateleiras e... embaixo dos "cabides" com preservativos pendurados, apenas UMA caixa pequena (50g) do gel. Então...

Quanto à sua suspeita, não é melhor pensar que é só coisa de mente poluída mesmo, que tal?... hahaha

Miguel Andrade disse...

Djalma, sempre me estrepo em não reparar a metragem do papel.

Na Frei Caneca então, KY deve ser coisa difícil de ser encontrada.

Ah, não! Minha mente poluída é sempre mais divertida.

Zu Campos disse...

Voltando ao assunto da embalagem de papel higiênico: Há algum tempo eram ilustradas apenas com flores, depois veio a época em que bebezinhos de bunda lisa freqüentavam essas embalagens e atualmente só vejo animaizinhos tipo coelhinhos e cachorrinhos estampados nos pacotes.
Uma pergunta que não sai da minha mente: Bebês e aminais limpam a bunda com papel higiênico? Só o Neve continua com o sexagenário "Alfredo" em suas embalagens, que brevemente perderá seu lugar para o Gayanechini...

Miguel Andrade disse...

Zu, o Primavera sempre teve uma menininha loira igual à do Claybon Cremoso, só que de chapéu.

Gianecchini em embalagem de papel higiênico vai ser o máximo. Tô até vendo ele se explicando a lá Sandy: "Eles pagam e a gente faz, não cabe ao artista discutir o produto" Aham...

Zu Campos disse...

Atualmente não dá tanta credibilidade a um produto associação de um artista ao seu nome (ou vice-versa). A Sandy deu um tiro no pé, só que não acertou nem de raspão, pois já está sem público e o Giane tem se associado a cada marca (vide loja Pintos e Neve). Nos anos 80s era um must ver as atrizes fazendo propaganda do Lux Luxo. Me lembro muito bem da Michelle Pfeiffer e se não me falha a memória, da Vera Fischer. Se não me engano, a última cartada da Lux foi nos anos 90s com a Letícia Spiller, que na época ilustrava uma linha de sabonetes e cremes hidratantes. Por falar em artistas em propaganda, quem baterá o atual recorde da Malu Mader?

Miguel Andrade disse...

Zu, Mader anunciava até cigarros! O Lark, embora falavam que ela não tinha um pulmão.

Lux teve Sônia Braga, Bia Seidl e muitas outras aqui. Agora raramente uma atriz aparece como ela mesma em qualquer produto.

Entendo famosos em propaganda, chama atenção. Dependendo da empresa dão raiva.

A grana que a Sky, por exemplo, gasta com a Bündchen, poderia ser investida em um serviço de qualidade pelo menos razoável. Que importa morrer de anunciar aquele caos todo?

Related Posts with Thumbnails