segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Drácula 100% made in Brazil

Separados na maternidade da Transilvânia! Cristopher Lee e o brasileiro Paulo Villaça!

Tão parecido com o inglês que ele foi o nosso Conde no episódio “Drácula Não Morreu” do seriado Armação ilimitada em 1988. Pena que o pessoal da maquiagem se esforçou bastante para desfazer a similaridade!

Villaça ta muito mais Christopher Lee em O Bandido da Luz Vermelha (1968 de Rogério Sganzerla ) do que aqui! Que sobrancelhas são essas, minha gente?

Pode parecer mais vampiresco também em Os Embalos de Ipanema (1978 de Antonio Calmon). A tiazona se esbaldando nos encantos juvenis de André de Biase, por coincidência (?) o mesmo Lula de Armação!

No começo, Luiza Tomé (futura Teuda e Manteúda do Seu Modesto Pires) corre de uns huskies siberianos (lobos?) em noite de lua cheia. É O mote do episódio, quando Lula e Juba (Biase e Kadu Moliterno) são contratados por misterioso empresário para encontrar a garota.

Enquanto isso, Zelda Scott (Andréa Beltrão) parte para Sensilvania a fim de fazer reportagem sobre clínica de emagrecimento que promete milagres. A intrépida reportar do Correio do Crepúsculo descobrirá que Lobo Cordeiro, dono da clínica, não é quem parece ser.

Há momentos bons como a participação da Enriqueta Brieba. Ela é Agatha Van Helsing, neta do lendário caçador de vampiros, e será responsável por equipar o pequeno Bacana (Jonas Torres) com as armas necessárias (água benta, estaca, etc.), que como cabe às sátiras, não irão surtir efeito.

E para não haver dúvidas da inspiração Hammer, ela mostra o retrato do vovô na parede. É Peter Cushing, ator que foi Van Helsing, algoz de Christopher Lee, em vários filmes da produtora inglesa!

Uma das marcas do programa era a brincadeira com os clichês televisivos. Produções da Hammer eram reprisadas á exaustão pela TV do Brasil naquela época, embora a trilha sonora utilize músicas do Drácula de 1978, com Fank Langella.

Além da péssima maquiagem que usaram em Villaça, “Drácula Não Morreu” pertence ao último ano da série, sofrendo com o desgaste de idéias dos roteiristas. O desfecho mesmo dá pena, com o bebê da Ronalda Cristina (a loba Catarina Abdala) resolvendo facilmente tudo com seus poderes sobrenaturais.

Não está entre os nove episódios incluídos no DVD duplo lançado pela Som Livre . Mania da TV Globo de comercializar suas produções picadas, capas e menus feios, bônus irrisórios, ao invés de boxes caprichados como as majors norte-americanas fazem.

[Ouvindo: Stop The Dams – Gorillaz]

6 comentários:

Marco disse...

Eu adorava Armação Ilimitada. Alguma chance de aparecer no Viva? Abs.

Miguel Andrade disse...

Marco, bem provável! Se reprisou no Multishow...

TV Pirata também passava no Multishow e agora estará no Viva.

Refer disse...

Ronalda Cristina? É esse o nome?

Cara, é quase o feminino improvável de Cristiano Ronaldo, o boleiro infernal da seleção portuguesa!

Miguel Andrade disse...

Refer, era esse mesmo! Muito bom.

Refer disse...

Um dia, vamos descobrir que 'Armação Ilimitada' passou em Portugal e inspirou a mãe do Cristiano Ronaldo.

:D :D

Miguel Andrade disse...

Refer, não duvido!

Related Posts with Thumbnails