domingo, 5 de setembro de 2010

Relevâncias televisionadas

Deveríamos assistir televisão com um bloquinho ao lado, pra ir anotando toda a cultura inútil. Porque como inútil que é, a gente acha bacana e acaba esquecendo logo depois.

Tipo jogar Master e ouvir a resposta que não sabíamos: “Aaaaaaah! Que joia...”. E daí?

Emissoras como a Discovery, programas de donas de casa que ensinam de chulear a fazer Torta Martha Rocha, seriados com profissões tipo policiais ou médicos... Todos são deliciosas fontes de informação descartável.

Nem sempre tão descartáveis assim, levando em conta as voltas que o mundo dá! Foi enquanto (mais ou menos) criancinha, que aprendi a eficácia de pedacinhos de papel higiênico para estancar sangue na hora de fazer a barba.

Descobri isso numa das primeiras temporadas de Os Simpsons, com o Homer enrolando a cara com todo o tubo de papel higiênico. Bem antes de Dexter recorrer ao papelzinho a cada abertura de episódio.

Não esqueci também de quando (acho que o) Ross explicou em Friends que gás de cozinha na verdade não tem cheiro. Ele é odorizado para que se identifique um possível vazamento.

É tranquilizante pra quem se pela de medo de incêndio. Quem mandou assistir Inferno na Torre no Corujão?

[Ouvindo: Nature Boy – Nat King Cole]

2 comentários:

Leticia disse...

A tevê é basicamente nosso veículo de formação. Quem se lembra das orientações escolares? Ninguém!

Em compensação, aprendi com Samantha, a Feiticeira, como arrumar uma casa em dois minutos. Você vai molengando o dia inteiro até que, em certo momento, respirando fundo, começa a correr pra arrumar tudo pá-buf. Aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=LQElxc9GraU&feature=related

Miguel Andrade disse...

Letícia, total! Onde mais a gente aprenderia a fazer uma lupa com um grampo de cabelo torto embebido em vinho?

E também arrumo a casa igualzinho à Samantha! Tão mais fácil!

Related Posts with Thumbnails