quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Vôo sideral na mata

Assisti dia destes alguma coisa do Sítio do Pica Pau Amarelo de 78. Uma das minhas fases preferidas: O Minotauro.

Passado o primeiro baque de saudosismo (lagriminhas!), bora refletir... Como as criancinhas eram diferentes!

Criancinhas e a TV, claro! E se dá pra sentir a assinatura de Benetido Ruy Barbosa (um dos autores) adaptando Monteiro Lobato, está em ser arrastado e CHATO!!!!

Muita sorte haver menos emissoras e nada de controle remoto pra mudar de canal. Brincadeira! A gente não sentia a lentidão, até por que, não conhecíamos outro tipo de edição.

Logo de cara, após a adorável abertura com Gilberto Gil cantando, está Dona Benta (Zilka Salaberry) sentadinha na sala instigando a patotinha sobre qual o tema da história que ela deve contar.

Emília, Visconde de Sabugosa, Pedrinho e Narizinho começam a debater ferozmente! Um quer romance, outro aventura, outro ciências, etc.

A sábia velhinha resolve a questão anunciando que será uma tragédia grega, englobando assim todos os temas! “Greeeeeeecia vovó? Que troço antigo e chato!”.

Depois disso agüente mais de dez (DEZ!!!) minutos com eles ainda sentados ouvindo uma explicação sobre o que é tragédia grega! Não acho isso ruim, é bacana, mas impensável qualquer coisa parecida na TV de 2010.

Só sei que a certo ponto, a sempre prestativa Tia Anastácia fica de bode do papo e anuncia que vai fritar bolinho de chuva. E dando FF não entendi direito, mas o cheiro da gordura atraiu nada menos que o minotauro!

O bichão fica doido com o sabor dos quitutes! Tão malucão que resolve seqüestrar a cozinheira, para que ela se torne uma escrava do forno e fogão também na Grécia antiga!

E basicamente é isso... O povo do sítio sente falta da Tia Anastácia, fica algumas horas (!!!) indo de lá pra cá até descobrirem o que aconteceu.

Daí, claro, o infalível pirlimpimpim entra em cena e vão todos interagir com Teseu, Ícaro, Ariadne muito antes de Cristo ter nascido. O elenco figurinhas fáceis da Globo na época como Paulo Gracindo Júnior e Lúcia Alves de toga colorida 70’s.

Datado, com conversa demais e aventura de menos, diz muito mais à nossa saudade da época do que aquela maravilha toda que nos ficou retida na memória. Mesmo assim, por apenas alguns minutinhos é bem legal.

Para quem quiser assistir, o Canal Viva está exibindo diariamente (08h01 e 13h) a fase Memórias de Emília.

[Ouvindo: Cani Arrabbiati – Stelvio Cipriani]

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails