quinta-feira, 15 de julho de 2010

Virgínia Lane pê da vida

Briga, babado e confusão entre as estrelas da TV! A vedete Virgínia Lane se sentiu insultada pela comediante Nádia Maria e soltou o verbo.

Já falecida, Nádia Maria era aquela que fazia a Zélia Caridoso de Mello na Escolinha do Professor Raimundo. Na época do bafão, estava no humorístico Ali Babá e Os 40 Garçons na TV Tupi.
Então, Lane fazia um programa infantil na mesma emissora, chamado Coelhinho Phillips. E eu pensava que a ideia de colocar mulher gostosa apresentando programa pra criança tinha começado com a Xuxa...

Nádia fez uma sátira chamada Coelhinho Felipe, e saía pelo cenário puxando o cabelo da molecada e lendo super mal as historinhas. A vedete não achou que foi uma imitação cômica, mas uma avacalhação como prova de despeito.

A outra se defendeu dizendo que nada ia ao ar sem que não fosse aprovado pelo produtor Max Nunes. Para ela, ser parodiada é sinal de sucesso e torce para que alguém também a imite algum dia.

Ofendida, Virgínia Lane dá como exemplo a imitação que tem feito de Charles Chaplin no teatro. Explica que procura “Apenas sublimar o que foi o grande Carlitos e não ridicularizar sua figura, como tentaram fazer comigo”.

Legenda da revista: “Virgínia Lane imita Carlitos em “Bububu no Bobobó”. E que Carlitos!”.

As farpas foram trocadas via revista Manchete, de 22 de agosto de 1959. Para ler a matéria toda, clique aqui.

19 comentários:

Glauco disse...

Pra você ver, Xuxa nem pioneira nisso é.

Agora, me lembrei de uma coisa engraçada e até emocionante:

Era terça-feira gorda do carnaval de 2007, pouco antes da meia-noite, eu e uns amigos vagávamos pelas ruas do Centro do Rio meio que sem rumo e fomos parar na Cinelândia, nos deparamos com um público bem animado, que assistia toda serelepe D. Virgínia Lane!

Simpatica toda vida, vestindo um maiô da lantejoulas azul marinho e adereço emplumado na cabeça, cantou alguns sucessos e falou da vida, ficamos até o final, nunca imaginei assistir Virgínia Lane.

Miguel Andrade disse...

Glauco, que inveja disso! Momento ímpar total!

Leticia disse...

Adoro essas explicações artísticas para imitações avacalhadas. "É uma homenagem!"...

Estamos há anos-luz dos americanos, que não encanam com isso. O ego deles cresce pra outro lado...

Miguel Andrade disse...

Letícia, pior agora que os idiotas se protegem atacando o que chamam de "patrulha do politicamente correto". Contra essa patrulha eles estão liberados pra fazer graça com qualquer patifaria!

Charles Bonares disse...

Minha vida para assistir o Coelhinho Felipe!

Miguel Andrade disse...

Charles, a minha também... Me cocei de curiosidade!

Refer disse...

Eu assisti na TV a essa coisa 'Coelho Felipe'; eu me esqueci do nome — tem certeza que era esse?

Era uma ideia meio de jerico, a VL aparecia de maiô, com um pompom - com o perdão da palavra - no rabo, um capuz com orelhas de coelho enormes e a maquiagem eram "bigodes" de coelho, provavelmente riscados com lápis de sobrancelhas.

Como a Virgínia é super dentuça, ela ficava a cara do coelho. Também carregava uma cestinha, feito o coelhinho da Páscoa.

Havia outro programa infantil apresentado por vedete, pela ótima Cinderela. Também não lembro o nome, a Cinderela toda loura e linda, de maiô e meias de malha.

Miguel Andrade disse...

Refer, certeza do nome eu não tenho pq não assisti. Mas pela matéria da Manchete era Coelho Phillipe, de Phillips. Clique no link ao final do texto e confira.

E como é que ninguém falava nisso nos anos 80, quando tanto comentavam da ex-namorada do Pelé apresentando programa pra criança? ô gente de memória curta!

Refer disse...

Já melhorou. Coelho Filipe é o da Nádia Maria, o da Virgínia era Coelho Philips.

No final dos 80, estávamos numa turma de uns dez, cercamos a Virgínia Lane em plena D. José de Barros. Ela estava com um macacão colante escândalo, estampado de verde, o decote nas costas ia até a cintura. Estava com uma bolsa imensa e um chapéu de palha maior ainda. Ela adorou a tietagem.

Miguel Andrade disse...

Refer, ué! Mas isto não está claro no post?

Imagino o momento Norma Desmond dela! heheh

Refer disse...

Está claríssimo. Eu li mal, li os comentários mal também e misturei tudo. É o que dá ter 2 neurônios cansados.

Miguel Andrade disse...

Refer, dois cansados e milhares dispersos! Rs

Leticia disse...

Refer está dando uma de Leticia. É nisso que dá fazer mil coisas ao mesmo tempo e vir comentar aqui.

Miguel Andrade disse...

Letícia, o tal do bonde andando... Daí eu levo um susto achando que a culpa é do post! Hahah

Leticia disse...

Não, é a pressa geral. Pressa de quê, eu não sei.

Verif. de palavras: bless. Paremos todos o que estamos fazendo para a unção do espírito santo.

Miguel Andrade disse...

Letícia, como se tudo não estivesse ao nosso alcance sei lá até quando!

Amém!

R.Scholl disse...

Por falar em Norma Desmond, uma das melhores cenas e prova de excelência de Gloria Swanson é a imitação de Chaplin em Sunset Boulevard.

Virginia Lane é nossa Mae West!

Miguel Andrade disse...

R. Scholl, touché! Lembrei exatamente dessa cena vendo a foto de la Lane!

Anônimo disse...

... legal o blog!
Alias o encontrei pela bela imagem da baita NADIA MARIA (e pena que se foi).
A assisto no tal humorístico; e a risada dela já vale assistir - pois o programa até apela (e difícil a COMEDIA em nosso país não apelar). Sem falar que muitos programas atuais estão com temas ultrapassados.
Soube que a MARTA SUPLICY chegou a processar (ou tinha o objetivo) a atriz Nadia Maria pelo personagem MARCIA SUPLÍCIO. Alias o que deve haver de processos referente à caricaturas assim.
Em 1993, houve um seriado que esculachava duas pessoas ligadas à política e um dos abordados pediu para que fosse retirado do ar (um ex-presidente que ainda está na política). O casal era retratado na série como ELLE e ELLA.
Embora ainda RIR SEJA O MELHOR REMÉDIO (ou PREVENÇÃO mesmo).

Rodrigo

Related Posts with Thumbnails