quinta-feira, 29 de julho de 2010

Monkey Business

Alegria suprema em A Orgia da Morte (The Masque of the Red Death 1964 de Roger Corman). Desvario em os tons berrantes inspirado no soturno Edgar Allan Poe.

Impossível não vir à mente a cena do macaco de Devassidão Total Até O Último Orgasmo (1986 de Fauzi Mansur). Momento de realismo ímpar do cinema brasileiro.

A voz professoral feminina em off diz: "A cabeça estropiada e doentia de Marcela é diabólica e inesgotável. Uma vez ela trouxe um gorila para nossa cela e o fez ter relações com a gente! Nós vivemos o maior pânico de nossas vidas..."

"...Nunca podemos saber se era um gorila mesmo... Ou alguém fantasiado de gorila"

[Ouvindo: What a Way To Die – Goggle-a]

4 comentários:

Leticia disse...

Quem sabe dentro do macaco estava o Joel Barcelos?

Miguel Andrade disse...

Letícia, Joel Barcelos é muito carioca!

Mas qualquer um há de convir que há uma bela diferença entre um macaco e um homem fantasiado... Ainda mais pra fazer sexo.

Leticia disse...

Foi o nome que me ocorreu...

Rindo aqui da decepção....

Miguel Andrade disse...

Letícia, se fosse pequenininho qualquer um apostaria no anão Chumbinho! hahaha

Related Posts with Thumbnails