quinta-feira, 22 de abril de 2010

Pausa para nossos comerciais

Rinso ajuda você a lavar melhor!

Não é de hoje que donas de casa reclamam de sua invisibilidade nos trabalhos domésticos. Ou é só coincidência Rinso quando você lava com Rinso “Seu trabalho aparece”.

E essa impressão toda cagada? Impressão a 4 cores MESMO, provavelmente das que dependiam do muque do tiozinho da gráfica!

Quando as páginas tinham que ser colocadas 4 vezes na máquina para ganhar todas das cores (CMYK). Folhas não niveladas, ou qualquer tremidinha da mão do cara dava nisso.

[Ouvindo: Frankie Lane - High Noon]

14 comentários:

Ed disse...

É efeito 3D. Efeito ânsia. Efeito viajar para Sorocaba, em uma manhã de sábado, após comer pão com mortadela...

Mas coitada d tia, ela se mata de trabalhar para depois colocar tudo no chão. Que desprezo pelo próprio trabalho.

Miguel Andrade disse...

Ed, hahahaha Bem reparado! NUNCA que uma legitima dona de casa colocaria a roupa no chão!

Leticia disse...

Ed, eu reparei a mesmíssima coisa. A coitada no lesco-lesco e o esposo nem pra lhe comprar um aparador a prestação. Humpf!

Miguel Andrade disse...

Letícia, esse maridos nem pra colocar o dinheiro em casa prestam! Humpf mesmo!

Refer disse...

Miguel, vc é um otimista. Vc acha que todo mundo sabe o que é Cian, o que é Magenta. É por isso que sou seu fã.

Miguel Andrade disse...

Refer, mas se não sabe vai no Google e descobre! Este é um blog para gente curiosa. Amo gente curiosa! :D

Leticia disse...

Hoje li esse texto aí embaixo. O que bate com a análise de Roland Barthes ("Mitologias", não lembro o nome do artigo), dizendo que o merchandising da lavagem de roupas, na década de 50, ultrapassou o valor da bateção de roupa, do esforço mecânico, ao milagre químico, que naquela época se traduzia em espuma abundante.

Miguel Andrade disse...

Letícia, realmente! Fiquei na dúvida qual das dezenas de anúncios de sabão em pó postar. Todos espumantes na mesma revista.

Leticia disse...

Sabões em pó (pelo menos em teoria) foram a revolução da mulherada, a libertação do tanque. Eu sei que mesmo assim de vez em quando a gente tem de dar uma esfregadinha (minha mãe sempre diz), mas eu resolvo tudo na base da química. Aquele frisadinho do tanque nunca me serviu pra nada.

Miguel Andrade disse...

Letícia, nem pra mim! Mas eu acho gozado como minha mãe não abre mão de uma marca específica.... Aquela mais cara e que mais investia em marketing antigamente.

Leticia disse...

De todos os sabões à venda hoje, apenas um é uma droga. É um roxinho, dentro de uma série de cores de dada marca. O resto é tudo igual.

Agora, amaciante é outro papo. Não que haja diferença na qualidade, mas há diversos níveis de água nas embalagens...

Miguel Andrade disse...

Letícia, amaciante realmente faz diferença pra chuchu! Me encantei com um que prometia uma certa mágica na duração do cheirinho.

Comprei e é verdade!

Leticia disse...

Opa! depois me passa, porque propaganda me passa batido.

Miguel Andrade disse...

Letícia, aquele comercial com um casal de atores das antigas, sabe?

Related Posts with Thumbnails