quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Cores do vento

Culturas em conflito? Nem só de bang bang viveu a colonização da América.

E a propósito, estou há anos procurando o disco que ouvi certa vez de um índio tocando a dança do sol rm flauta de osso de águia. Devia ser igual a esta aí.

[Ouvindo: Follow Me – Kimiko Ito]

15 comentários:

Leticia disse...

Humm... a julgar pelo style, é um discípulo do cara que faz aquelas ilustrações pra revista Sentinela...

Leticia disse...

"Ela canta mal, é vulgar e se veste como uma vagabunda, mas seu show é ótimo! Mostra como o público ainda entende das coisas!".

Bons tempos os da ironia...

Miguel Andrade disse...

Letícia, tem cara mesmo... Ou dos livros dos mórmons.

Dentro do contexto do livro não me pareceu ironia.

Leticia disse...

Xi, comentei no post errado!

Mas, já que Marlene veio parar aqui... não vi o contexto, Miguel, mas assim me pareceu (e óia que tem muita coisa de Madonna que gosto...)

Miguel Andrade disse...

Letícia, mas a Marlene viu a outra Madonna, a guria cheia de vontade de dar certo! Sem trocadilhos.

Infelizmente a gente a viu virar carne de vaca. E pelo jeito, com a quantidade de pão com ovo a paparicando, a véia vai demorar pra se ligar em aposentadoria.

Refer disse...

A gravadora Eldorado lançou nos anos 80 uma série de discos de New Age, principalmente do selo Windham Hill. Havia um disco de um índio americano que tocava flauta feita de osso de perna de águia (isso vinha escrito na contracapa!) — vendia bem, mas não me lembro do nome do índio. Não era Touro Sentado.

Miguel Andrade disse...

Refer, aaaaaaaaah! POR FAVOR!!! Se bem que com o nome do selo já ajuda! Valeu!

Leticia disse...

"... com a quantidade de pão com ovo a paparicando..." (rindo horrores!)

Miguel Andrade disse...

Letícia, mas não é? A muié só se repete e ainda assim tem fãs ensandecidas!!!

Leticia disse...

Vai ver é justamente por causa disso, oras!

Miguel Andrade disse...

Letícia, provavelmente. pelo mesmo motivo que criança assiste o mesmo cartoon infinitas vezes. Por questões de segurança, segundo ouvi um psicólogo falar certa vez.

Faz sentido. reparou que o que é feito pra grande massa sempre é bem infantil? Filmes, por exemplo, são de uma maturidade bem tolinha.

Leticia disse...

Interessante a questão de segurança. Nunca tinho lido sobre isso.

A maturidade geral é como uma família num shopping: é segurinho e se têm a certeza que as novas emoções ensacoladas deixarão tudo exatamente como estão. E o "novo" que mantém o velho.

Viajei, né?

Miguel Andrade disse...

Letícia, com certeza!

Nos filmes, desde O Homem de Ferro e aquele Batman recente, tinha jurado não perder mais meu tempo com porcarias de heróis. Mesmo assim, me arrisquei com Hellboy II outra noite.

Não é coisa pra criança. O personagem principal fuma, bebe, é violento mas as tramas afetivas são aterradoramente pueris. Malhação deixa ele no chinelo em termos de maturidade.

Impossível que uma pessoa com mais de 18 anos, pensante, se encante com aquilo.

A Comissão disse...

Sei não, essa ilustração me parece mais um clássico do pack "Mensagens Subliminares"... Rsrs

Miguel Andrade disse...

A Comissão, acho que não. Não tem nada subliminar aí.... A mensagem tá clara! Heheheh

Related Posts with Thumbnails