quinta-feira, 31 de agosto de 2006

Sexta-Feira 13 - Parte V - Um Novo Começo

Às vezes o que se deseja ou promete, entre inúmeras outras coisas no fim de ano se concretiza! Se é que você se lembra do último post de 2005... Nem me refiro (ainda!) às aulas de kungfu, mas à mudança súbita de ganha-pão! Fui convidado a produzir flyers pra festas do tipo “legal, mas não me convide!” de casas badaladas da região de Jundiaí, Campinas, blábláblá. Voltei a trabalhar com a noite pelo menos indiretamente!!! É um upa criar pensando em centímetros e não em pixels. Flyers merecem sim serem colecionados porque refletem dramaticamente seu lugar e época. Estudando o que vem sendo feito por aqui levei susto! Eles se levam muito a sério!!! Chegam a ser caretas, sem humor, direcionado pra jovens que escutam qualquer coisa em FM, chamam festas de balada, e vão a elas de camisa pra dentro da calça. Seus flyers são só uma pálida lembrança dos primeiros e memoráveis brasileiros, do início da década de 90, para divulgar eventos de casas como o Sra. Krawitz ou Latino Club. Só milhares de palavras distribuídas em espaço mínimo com um desbunde de chanfros e entalhes em fundos fractais... Sono... Ah, sim, e é tudo party! De preferência party a fantasia, halloween party, verão party, party que pariu! O interior ainda está na década de 80!


[Ouvindo: Batucada – Towa Tei]

sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Alta Fidelidade

E teve aquela bonitona, dona de uma clínica de estética, que me pediu a indicação de um filme e dei Tomates Verdes Fritos. Romancezinho rasteiro pra moçoilas que não esperam muito da vida. Disse-me que já tinha assistido e achado muito difícil... Também temos Chaves, minha senhora! Roberto Bolaños deve ser mesmo Shakespeare para alguns! Ou muitos... E assim jaz uma quase nada brilhante carreira de atendente de locadora! Aprendi muito cedo a nunca indicar filmes a ninguém, porque também não levo nada a sério indicações. Talvez preste atenção no que o Inácio Araújo escreve na Folha de São Paulo. Quiçá um dos melhores críticos. Perhaps, perhaps, perhaps… Minha irmã alugou Closer só por causa da Julia Roberts mas achou uma droga. E eu que adorei mas quase não assisti só por causa da Julia Roberts? Há três tipos de filmes: Os que cumprem seu papel, os que vão além disso e os detestáveis. Na primeira categoria encaixam-se, por exemplo, filmes de terror que assustam, de kungfu com espetaculares cenas de porrada ou românticos que façam chorar copiosamente, de preferência em não mais que uma hora e 40 minutos. Na segunda estão os que podem durar até 4 horas mas parecerão 10 minutos. Podem ser falados na língua que for, em berrante tecnicolor ou esplendoroso B&W, tanto faz. Dará vontade de revê-los inúmeras vezes e sempre será um prazer. Mas há a terceira, os insuportáveis para platéias medíocres, que explicam tudo nos mííííííííííínimos detalhes, ou os arrastados, chatos pra cacete só pra fingirem que são artísticos. Segue minha lista absurdamente pessoal com os 25 filmes essenciais para se acordar e ficar feliz. Porque se alguém teve a capacidade de fazê-los é porque este mundo ainda tem jeito!




*Crepúsculo dos Deuses (Billy Wilder)
*Ed Wood (Tim Burton)
*Amarcord (Federico Fellini)
*Quanto Mais Quente Melhor (Billy Wilder)
*A Malvada (Joseph L. Mankievicz)
*Mulheres A Beira de Um Ataque de Nervos (Pedro Almodóvar)
*Batman O Retorno (Tim Burton)
*Cantando na Chuva (Stanley Donen e Gene Kelly)
*A Viagem de Chihiro (Hayao Miyazaki)
*Um Corpo que Cai (Alfred Hitchcock)
*Crimes e Pecados (Woody Allen)
*O Mágico de Oz (Victor Fleming)
*Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (Michel Gondry)
*Akira (Katsuhiro Otomo)
*O Anjo Azul (Josef Von Stenberg)
*Juon (Takashi Shimizu)
*Cecil Bem Demente (John Waters)
*Kill Bill – Vol. 1 e 2 (Quentin Tarantino)
*Old Boy (Chanwook Park)
*Gilda (Charles Vidor)
*Bye Bye Brazil (Cacá Diegues)
*O Iluminado (Stanley Kubrik)
*Bonequinha de Luxo (Blacke Edwards)
*O Que Terá Acontecido a Baby Jane? (Robert Aldrick)
*O Clube da Luta (David Fincher)


etc.

[Ouvindo: It's a Sin – Pet Shop Boys]

terça-feira, 22 de agosto de 2006

Monstros S.A.

Já dizia um antigo provérbio Klingon: Antes tarde do que nunca! Quem sabe agora é a hora de Lília Cabral ser reconhecida pelo país. Brilhante! É o único motivo pra se parar na novelinha das 8 (ou 9 e alguma coisa) da Globo. Já não disse que acho chato pra burro o que o Manuel Carlos escreve? E o que ele escreve “interpretado” (note as aspas!) pela Regina Duarte é duplamente chato. Deviam lançar um livro com o Método de Interpretação Regina Duarte! Tristeza: olhos arregalados, Fúria: olhos arregalados mais gritos, Apaixonada: olhos arregalados mais suspiros... Stanislavski que se cuide!!! E é pena como a Lília praticamente não faz cinema. Aliás, é pena como o Brasil praticamente não faz cinema!!! É sempre a mesma panelinha, as mesmas pessoas em histórias escorregando entre a obviedade e o enfadonho. Dá saudades das pornochanchadas e dos Trapalhões nos anos 70/80. E falando em Os Trapalhões, tem uma caixa na banca (a preço de banana!!!) contendo 3 DVDs deles, incluindo Os Saltimbancos Trapalhões, aquele baseado na obra de Chico Buarque com músicas do mesmo. E falando em pornochanchada, cê viu o tamanho da beiça da Lucélia Santos na novelinha da Record? Nuuuuussa! Nem tá conseguindo articular as palavras direito. Tadinha, será que é botox? O Daime? Rivaliza com a nova dentadura tamanho GG do Stênio Garcia!!! Outro dia mesmo tava falando pra uma amiga que eu não entendia o porquê da Lucélia Santos não fazer mais filmes. “Porque é péssima!”, cortou o assunto crudelíssima. Mesmo assim! Com a popularidade alcançada no mundo graças A Escrava Isaura qualquer trash se tornaria um blockbuster. Pelo menos na China.... Isso claro, se ainda topar ficar pelada.

[Ouvindo: Dejame Recordar – Bola de Nieve]

quinta-feira, 17 de agosto de 2006

Antes do Anoitecer

Acha a cidade, estado ou país onde você mora podre? Então não vá pra Cuba! Lá é terra de quem acha tudo óóóóótemo... Cada matéria na TV com aquela gente rezando pelas melhoras de Fidel Castro me dão uma volta no estômago... Também não se deve levar muito a sério as declarações de quem vive sob o comando de um regime historicamente autoritário e vergonhosamente cruel. Fidel já tá indo tarde! Bem tarde!!! Mas também, olha quem está falando! Só mesmo neste país de analfabetos pra depois de toda bandalheira envolvendo o governo do PT, Lula ainda estar em primeiríssimo lugar nas pesquisas!!! Ou a economia só vai às mil maravilhas no Jornal Nacional, ou ao entrar no supermercado aqui do bairro sou magicamente transportado a uma nova dimensão não tão feliz... Vão ser burros assim lá em Cuba! Pimenta na Cuba dos outros é refresco!!! Não resisti... Claro que pesquisas são só pesquisas e, ainda mais, por estas playas nunca se sabe o que pode estar por trás. E é inesquecível a última eleição para prefeito em Itapeva, interior de São Paulo. A ex (graças a Deus!) deputada Teresinha da Paulina, mesmo sendo proprietária dos veículos de comunicação mais fortes (as duas únicas rádios que por mistério a região sintoniza) levou o famoso pedala Robinho do nem tão ingênuo assim Zé Povão! E olha que, como dona do aqüé que é, não havia órgão de imprensa que deixasse de valorizar suas tão insuspeitas virtudes... E o senador Suplicy, sujeito a quem sempre mantive certa simpatia, que é candidato a se reeleger pelo PT? Qualquer um que se manteve neste partido é no mínimo suspeito de confiar na estupidez alheia. Depois do vendaval, onde meus heróis morreram de overdose, qualquer discurso de voto consciente soa como o de pedir a uma macieira que dê pêras...

[Ouvindo: Kiss Me – Sixpence None The Richer]

quarta-feira, 16 de agosto de 2006

Festim Diabólico

Parecerá reunião de personagens criados por Agatha Christie! O povo que freqüenta este blog mais assiduamente virá passar o carnaval 2007 aqui em casa e enfim todos nos conheceremos pessoalmente. Ux, vou logo avisando: o Boris dorme comigo, a Glenda morde desconhecidos e só eu uso a caneca do Doraemon! Ah, sim! Agora tem o Vincent, que ainda está bebê e não dá pra saber se vai herdar a docilidade materna. Ademais, terá tigelinhas com ração e água pra todo mundo!!! E claro, uma caixa de areia aguarda os que ficarem apertados. Só acho que o carnaval está muito longe. O Junior Metheoro virá a pé do Recife? Lembra quando fui conhecer a Lilith e a fofa simplesmente não me reconheceu? Arrasadíssimo virei as costas e fui embora... Vou estar na rodoviária com um cartaz: “La Dolce Vita diz: “Welcome!”. Pra mim o Pedro Paez (ou Flavimar, alcunha que usa no orkut) é que nem aquele pintinho dos desenhos, com óculos redondos, que fica lendo, lendo, enquanto o galo tenta desvirtuá-lo, e o Junior Metheoro simplesmente um sátiro. Vou esconder minhas garrafas de Martini... A véinha que mora em frente não pode ver chegar visita que vem oferecer colchão! Com sorte, (leia-se “se o Junior não espantá-la...”) manterá a tradição. Geograficamente o Pedro é o que está mais perto de Jundiaí. Minas deve ser logo ali, já que, quando digo que vim de Itapeva, os jundiaienses sempre acham que é a de Minas, e nem imaginam que há outra ao sul do estado de São Paulo. Ai que preguiça de olhar um mapa! E onde a Lilith mora agora? No Rio? Então me traga uma lembrancinha kitsh do cristo redentor e em troca a levo pra conhecer a Ponte Torta, magnífico monumento ao nada! O Pedro fica em casa porque tenho alguns filminhos que talvez gostará de assistir, enquanto levo o Junior ao Parque da Uva. Garanto que ele vai se imaginar algum dia possuindo a faixa de Rainha da Uva, honraria local que já pertenceu à Cida Marques! Poooodre de xiqui!!! Quem viver verá!

[Ouvindo: Ashes to Ashes – David Bowie]

sábado, 12 de agosto de 2006

O Colecionador

Essas caixas de DVDs com todos os episódios sabe-se lá do quê são um negocião para todo mundo. Para quem produziu, que ganhará mais uns trocos sem praticamente desembolsar nada, e claro, pra quem compra, que irá guardar em uma mídia não perecível o que a TV fez de melhor em sua opinião. No meu aniversário fui contemplado com Engraçadinha – Seus Amores e Seus Pecados, aquela versão produzida pela Globo nos anos 90, justo agora que achei num sebo o volume que me faltava de Asfalto Selvagem, o folhetim de Nelson Rodrigues que o originou! A edição digital ficou um esculacho, a começar pela embalagem apenas com um filtro tosco do Photoshop! Será que o Manga (O Manga!!!) não viu isso? Chega a me dar um frio na espinha lembrar que na época quase realizei a façanha de gravar os 20 episódios em VHS... E foi uma verdadeira epopéia rever as mais de dez horas de um universo onde moças dão maus passos e os amantes se tratam por “vidinha”. Parecia que quando assisti em 95 tinha mais sexo! No máximo um desfile de peitinhos pra cá e pra lá, o que diante de um texto maravilhosamente fiel à obra original, acaba diluído. E a emissora continua insistindo, até na capinha, que a Alessandra Negrini estava sendo mostrada pela primeira vez ali, sendo que já tinha tido um personagem na novelinha Olho por Olho, aquela em que o Nico Puig (quem?) soltava raios vermelhos pelos olhos. Mas isto não importa, meus senhores! O que importa são os peitinhos da Engraçadinha!

[Ouvindo: The Kids Aren't Alright – The Offspring]

sexta-feira, 11 de agosto de 2006

O Inquilino

Conversei um dia com uma velha senhora de sotaque argentino bem forte. Claro que, a sós, sempre procuramos coisas em comum para ter o mínimo de assunto que conversar. Óbvio que tínhamos! Além de sermos estrangeiros, o gosto por gatos. Na época eu ouvia tango, preferencialmente Piazolla, e toquei no assunto. Ela nunca tinha gostado de tango, exceto agora na maturidade. E disse ainda que até seu sotaque vinha aumentando... Continuo não suportando Amália Rodrigues, e Madredeus acho bonito. Mas tenho saudades de coisas que a princípio deveriam ter feito falta ou tido importância na infância e eu nem qüém pra elas. A ausência do meu pai é uma delas. Hoje sinto muito mais sua falta do que quando eu tinha, por exemplo, dez anos. Não da sua utilidade, mas da presença em si. Não me lembro, após o choque da sua morte, de ter chorado por ele. Cresci em uma casa com um quintal enorme repleto de árvores, mas tinha vergonha de morar ali por causa da rua de terra. Era o único da classe a ter os tênis sujos de barro em dias de chuva. Hoje queria um quadradinho de terra pra plantar salsinha, mas meu quintal é todo acimentado. Ótimo para o Boris gastar as unhas! Preciso lembrar que esta semana cheguei à casa dos 30?

[Ouvindo: Star 69 – FatBoy Slim]

quarta-feira, 9 de agosto de 2006

Ricas e Famosas

O que mais vale, ser rico e cafona de dar dó, ou pobre de marré com um intelecto razoavelzinho? Nem faz tanto tempo assim que uma ricaça italiana entrou em cana por (entre otras cositas) negar seus rendimentos ao fisco. Era dela frases do tipo “mais vale chorar em uma limusine a sorrir numa bicicleta...” Tá, já não disse que meu cérebro é uma esponja de coisas lamentáveis? Mas o que tá valendo é que nestes tempos de fantásticos eletro-eletrônicos, não basta estar montado na bufunfa pra poder usufruir completamente de tudo isso... Que luxo uma super Cyber Shot com trocentos mega pixels pra registrar sua viagem à Aparecida do Norte! E aquele Pentium 4 muito útil só pra MSN, vagabundear pelo Orkut e entupir caixas postais alheias com lixo virtual? DVD do Elymar Santos fica tão melhor em uma TV de Plasma com áudio 5.1... Quando estive na casa da minha mãe há umas semanas (fino que sou) fiquei ouvindo a conversa dela com uma amiga de um aqüézinho a mais: “Ai, desta vez vou esticar a cara, levantar a bunda, fazer lipo nos pneu, e assim que esta prástica cicatrizar, vou querer nos peito também, que tão ficando com pobrema”. Um professor de português sai mais caro? Às favas com Haroldo de Campos, mas dinheiro a mais e neurônios a menos sempre é mais revoltante! E quem não pode se sacode!

[Ouvindo: Malagueña Salerosa – Chingon]
Related Posts with Thumbnails