domingo, 30 de julho de 2006

A Doce Vida

Êêêê!!!! Não é todo dia que o blog da gente faz quarto anos!!! De lambuja entra em seu 5º ano!!! Preciso dizer que se há algo que gosto nesta vida é cuidar disto aqui? É a única coisa que faço inteiramente do jeito que eu quero, sem concessões, e quase não sei fazer mais nada de outra maneira... Ux! A Internet já não é mais a mesma de quatro anos atrás, é verdade, mas quem o é? Benzadeus! Blogs estão eternamente em mutação, conforme seus donos. Vai-se deixando assim ou assado conforme nos dá prazer. E há quilos de arquivos, alguns bisonhos que deviam dizer alguma coisa quando foram criados. Me divirto principalmente com as primeiras ilustrações que fiz e publiquei, pelo amadurecimento do trabalho em si. Eram bem diferentes. O que continua igual é a mania de escrever e as criar ao mesmo tempo. E um amigo que salva estas imagens pra usar como wallpaper no celular? Xiqui! Xiqui! E entre brigadeiros e beijinhos vale agradecer o carinho de algumas pessoas! No princípio eram trevas! A primeira a mandar e-mail foi a Lilith, quando aqui nem tinha sistemas de comentários... E de pensar que a moçoila ainda comenta firme e forte? Wow! Deve saber mais da minha vida que a minha mãe, né? Tem também o Junior e suas estridências direto de Pau d’Alho para o cyber space... Faz quatro anos que o ex-presidente do fã Clube da Rosana Hermann deixa-nos comentários que não raro complementam os posts, inclusive quando estão discordando. Taí um sujeitinho que um dia quero conhecer pessoalmente. Mininuuuu! E tem mais um monte de gente que merece o meu obrigado, claro, até a você que nunca mandou e-mail, comentário ou telegrafou em código Morse, mas vem aqui volte e meia nem que seja pra falar mal! ...Enchanté pra você também!

[Ouvindo: Nem Vem Que Não tem – Wilson Simonal]

sexta-feira, 28 de julho de 2006

As Horas

E chique pra chuchu é a tal da Teca que sofre de bulimia porque não está acostumada com sua auto-imagem! Vi no Ronni Von, que aliás, como frescura não tem limite, levou o Cesar Giob noite destas pra ser entrevistado! Affff! E agora com zilhões de fotos digitas também ando estranhando minha auto-imagem. Culpa da tecnologia! Chama o Fantástico que descobri mais uma síndrome moderna! Vem cá, nunca (em quase trinta anos de vida!!!) alguém me contou que sou vesgo! Humpf! Não vesgo tipo os dois olhos se encontrando, mas quando olho pro horizonte um vai mais além que o outro. Quase o Igor do Jovem Frankenstein, sabe? Achando que tava abafando... Deve ser bom pra ficar com um olho no peixe e outro no gato. A Glenda que se cuide! E O último grito em matéria de tecnologia na minha cozinha é a panela de pressão! Mesmo sem ter perdido o medo, o que torna o cozimento de uma simples mandioca uma coisa homérica! Minha avó já explodiu fazendo grão de bico. A panela, não a velhinha! Por causa daquela idade toda, mesmo com a cozinha detonada, foi olhar a rua pra descobrir o que tinha feito barulho... Tadinha! Se ela, que tem 645 anos, só de pressão mandou tudo pelos ares, imagina este que vos posta! E não dá pra escrever “pressão” sem martelar na minha cabeça aquele funk pavoroso... O tchi tchi tchi da pressão com som de telenovela ao fundo é o que há de mais suburbano neste planeta! Cheiro de feijão e novelinha do Manuel Carlos!!! Sortuda é a Danielle Winitis que além de ter peitão ainda ganha salário pra ler texto na TV!

[Ouvindo: Tainted Love – Soft Cell]

domingo, 23 de julho de 2006

Caramuru – A Invenção do Brasil

Tá, nerdice tem limite, mas um bom livro de referência é irresistível. Dicionário, enciclopédia, guia de vídeo, até Almanaque do Pensamento tá valendo!!! Dá pra descobrir coisas de suma relevância. Quando for ao Japão (amanhã, quem sabe?) vou sobreviver não só de lamen mas de sorvete, já que o meu Michaelis Japonês para Viagem diz que é correto usar a palavra aissu-kuriimu! Ah, e pra beber, mineraru wotá em um koppu bem limpinho!!! Guias de Vídeo da Nova Cultural devo ter algumas dezenas das mais remotas épocas... No dia-a-dia sou obrigado a usar o de 2001 já que, sabe-se lá porque, nunca mais achei! Essas publicações são também úteis para apaziguar acaloradas discussões. Um amigo jurava de pés juntos que a Courteney Cox não estava em Pânico, veja você! Foi só esfregar o verbete na cara dele...Humpf! E dia destes travei outra batalha filosófica de grande interesse para a sociedade mundial. Pra mim, mais de dois no oba-oba é orgia, para uma amiga é threesome, orgia só quando envolve muitas pessoas!!! Bem, o Houaiss me deu razão e ponto! E fiquei bege porque a palavra suruba vem do tupi! Então tinha fuzarca na maloca? Aquela imagem do bom selvagem que se aprende na escola é quase irrefutável... E nem todas as palavras estão lá. Peripaque por exemplo, mesmo sendo comum pra chuchu. E foi esta mesma amiga, a da orgia, que muito mais letrada cantou a bola. Preocupadíssima com tal ausência para a evolução da humanidade já vasculhou vários dicionários e nada. Aposto que também deve vir do tupi... Também aposto que você adivinha de que palavra são estes sinônimos, segundo o mesmo Houaiss: “alvado, anilha, apito, ás-de-copas, berba, boga, bogueiro, cagueiro, centro-das-convicções, centro-do-oiti, cesta, diferencial, feofó, finfa, fiofó, fiota, fiote, fioto, foba, frasco, fueiro, furico, loto, oritimbó, panela, pêssego, pevide, quiosque, rosa, rosca, roscofe, sim-senhor, tutu, viegas, zé-de-quinca”.

[Ouvindo: Decadence Avec Elegance – Lobão]

terça-feira, 18 de julho de 2006

Ladrões de Sabonete

Acho um porre responder sobre o porquê colecionar filmes! Ninguém deve perguntar a um marchand por que ele compra quadros... É igualzinho, mas os meus são 24 por segundo! Claro que na minha filmoteca não entram coisas do tipo Xuxa Pop Star, Velozes e Furiosas, Guerras nas Estrelas, em suma, entretenimento para a massa acéfala. Não que essas películas sejam isentas de algum mérito numa tarde chuvosa, mas se porventura os quiser assistir (tudo pode acontecer!) será só ligar a TV à tarde ou alugá-los em qualquer locadora. A boçalidade é vulgar tal e qual uma jarra de suco em formato de abacaxi. Bons filmes ou você os compra depois de anos de busca, acreditando ter achado um tesouro, ou confia na programação da TV nas altas madrugadas, e nesse caso, na sua insônia também. Há filmes absurdamente maravilhosos para serem vistos dezenas de vezes, inéditos em DVD ou VHS, e só poderão ser assistidos ao acaso. Foi assim que vi o ousado Infâmia, com Shirley Maclaine e Audrey Hepburn como as professorinhas de uma escola para meninas, acusadas por uma garota tão rica quanto malvada de serem amantes. E tá que a personagem de Maclaine era mesmo apaixonada pela outra? Uma maria-mole lilás a quem apostar num fim trágico! Não me conformo em ter adormecido vendo Os Inocentes no Corujão! Esta pérola dos filmes de fantasmas tem Deborah Kerr (voz da Mulher Maravilha dos Super Amigos) como uma governanta às voltas com dois irmãozinhos (o guri com a voz de Danton Melo) em uma mansão vitoriana povoada por assombrações horripilantes. Imagine Os Outros em esplendoroso preto e branco e com mistério idem... Não me pergunte mais nada porque, ao contrário da Samara Morgan, às vezes durmo.

[Ouvindo: Lo Dudo – Los Pachos]

sábado, 15 de julho de 2006

De Volta Para o Futuro

Um sujeito fumando vai revelar fotos num lugar onde se pode encontrar até lâmpadas para Super 8. Sai dali, compra um envelope, entra em uma agência dos correios e envia a imagem... De que época estamos falando? Hun? Não imaginava voltar a fazer isso hoje em dia, em um mundo aparentemente tão moderno, tão mais prático... Aliás, só fiz porque restaurei aquela fotografia postada no Flickr, presenteada à minha mãe pelo meu finado pai quando se conheceram. Um pequeno milagre em meio aos farelos que sobraram. A véia vai ter um chilique quando o carteiro chegar... O incrível foi o valor financeiro envolvido na transação. Tirando, claro, minha mão de obra (carééééééérrima!!!) não passou de R$ 1,64!!! Oh, revelação, envelope, e envio!!! Preço de paçoquinha, né? Não dá pra comprar nem um maço de cigarros, uma das coisas demodés que ainda pratico todo santo dia... E os Correios estavam às moscas, ao contrário da loja de fotografias, com um monte de senhorinhas ávidas para transformar o conteúdo de CDs em papel. Já escrevi muitas cartas. Passei minha vida me correspondendo com pessoas do mundo todo a ponto de virar amigo do carteiro. Se na infância era pra aumentar minha coleção de selos, ao ficar maiorzinho ganhou uma função mais democrática. Enviava revistas pornôs bem escrotas a correspondentes de países com censura (Cuba, China, Índia, etc) e em troca pedia revistas de fofocas com celebridades locais. Quando os envelopes não vinham com a colinha ativada com a língua, fechava-os nos Correios. Toda agência tinha a mesma cola, nos mesmos potes, com os mesmos pincéis exatamente da mesma cor com uma molinha que nunca funcionava. Hoje é um tubão de cola Prit; afinal, são outros tempos. Igual só o barbante que a amarra à mesa.

[Ouvindo: Respectable – Mel & Kim]

terça-feira, 11 de julho de 2006

Cães de Aluguel

Já falaram à exaustão que todos nos achamos um pouco técnicos de futebol, né? Talvez cineasta e escritor de telenovelas também! O que a gente acha tosco apodrece mesmo. E pra apodrecer é um, dois, três! Mas há que se falar a verdade... Todo dinheiro que os jogadores ganham é merecidíssimo. Não faria em pé um terço do que eles fazem deitados com uma bola!!! E nunca quis assistir a A Era do Gelo porque aqueles gráficos sempre me pareceram molambentos perto dos da Pixar, até que tive a oportunidade de mexer exatamente no mesmo software, o 3D Studio Max. Wow!!! É difícil, chato e careta. E aqui jaz uma ex-futura brilhante carreira de animador em computação gráfica. Filme pornô é outra coisa de que aprendi a não falar (muito) mal pela incapacidade de fazer melhor. Ou menos pior. Me refiro à direção, of course... E olha que em épocas de vacas magérrimas cogitei seriamente a hipótese. Esbarrou na falta de local pro cast “atuar”. Não seria doido de colocar esse povo no meu sofá... Sabe-se lá onde aquela bunda andou antes!!! Parece que mulheres como telespectadoras gostam de historinha, eu não suporto! Esperar deles os mesmos dotes de Sarah Bernhardt é exigir demais. Pulo logo pros finalmentes! Humpf! E num dos filmes do Alexandre Frota a mocinha (mas nem tanto) repetiu 83 vezes “Ai que delícia! Ai que gostoso!”!!! Deu pra contar. Chato pra chuchu... E já escutei: “Oh! Me dá isso pra mim lamber...” Sim, também é exigir demais uma gramática perfeita, ainda mais com aquilo tudo à mostra, mas já é o bastante pra eu preferir assistir ao Bob Esponja... Aaaaah, e parece que a Regininha Poltergeist vai seguir os passos da Rita Cadilac e fazer um pornozão. Não falei? Não falei que um dia a carreira dela ainda ia decolar?

[Ouvindo: Get Ready For This – 2 UnLimited]

sexta-feira, 7 de julho de 2006

Julieta dos Espíritos

Sou leão, ascendente em libra e lua em aquário. Mas juro! Não tenho culpa nenhuma... Horóscopo pode ser divertido, mas não passa de mais uma fórmula de rotular, ou de se desculpar pelo que quer que seja. Tive um amigo maconheeeeeiro de impressionar que alegava que, para todos os efeitos, seu mapa astral já indicava a tendência aos entorpecentes. Ele apregoava isso ao bolar o oitavo ou nono baseado da manhã. Também é oportuno (e cafona) perguntar o signo quando se quer demonstrar interesse na hora da paquera, mesmo que isso não faça a mínima diferença pra você. Se pegar um cético radical pela frente, tchau, tchau!!! Todo ser humano é teimoso por natureza, porque, óbvio, a gente insiste no que acha estar certo. Talvez por isso a teimosia é característica de todo zodíaco. “Ah, mas eu sou de touro, teimoso pra chuchu!”, “Fulano é um virginiano muito teimoso”, “Só podia ser de gêmeos, com essa teimosia toda!!!”. Nem desacredito, só dou um vá de retro pra quem vem chegando com quatro pedras na mão esperando minha arrogância, espírito de liderança, presunção, lealdade e outras coisas que leu sobre os nativos do meu signo em algum João Bidu da vida! Danço conforme a música, como todo mundo, ué! Há quem jure de pés juntos que sou um docinho de coco, quem ache um docinho de cocô e ainda quem aposte nas duas coisas. Não entendo porque ser de peixes, escorpião, câncer ou capricórnio é definido no momento em que se nasce e não quando o espermatozóide encontra o óvulo, na concepção. Por que a placenta, barriga, blábláblá nos isola das influências dos astros? Validando essa regra, poderia ter me enganado a vida toda, e na verdade ser sagitariano. E aposto como isso me torna muito teimoso...

[Ouvindo: Cheek To Cheek – Fred Astaire]

quarta-feira, 5 de julho de 2006

Edward, Mãos de Tesoura

De fazer inveja a Doris Day: Uma casinha no meio do nada com pomar, riozinho, dezenas de cães e gatos, e claro, Internet e um funcionário eficiente para limpar o cocô dos bichos. É exatamente assim que imagino meus últimos dias, bem velhinho e isolado indiretamente da civilização. De vizinho só as cotovias e sabiás! Depois de alguns anos já dou bom dia à maioria dos vizinhos. Exceto aos evangélicos, que pensam que irão pro céu mesmo importunando os outros com aquelas músicas nojentas a todo volume. E só! Fora isso, quanto menos contato, quanto menos essa gente souber, ótimo! Menos dor de cabeça. Qual não foi minha surpresa ao chegar do trabalho e dar de cara com a velhinha que mora em frente tagarelando no portão com minha mãe na vez mais recente que veio me visitar. A senhorinha de uns (por baixo) 150 anos sabia absolutamente tudo a meu respeito. Onde trabalhava, quem recebia, de onde era, com qual freqüência corto os cabelos ou saio de casa, a que horas volto. Só faltou entregar quantos centímetros tem meu pinto! No duro!!! Oh! Levei noites a fio imaginando uma espécie de máfia de donas de casa com bobes investigando o conteúdo dos sacos de lixo que coloco pra fora quando me lembro ser dia do lixeiro passar. Deixando de lado suas Ti-ti-tis, Caras, Contigo! e Amigas para analisarem meu novo corte de cabelo. Ou desligando a TV bem na hora do Leão Lobo pra discutirem se ganhei ou perdi peso. Vai ver que é por isso que outro dia tinha convite para um baile da 3ª idade preso no meu portão. E me achando tão discreto, tão na minha, levando uma vidinha tão desinteressante... Deixa só elas descobrirem que faço bolo sem receita, tomo vodka com groselha e lixo as unhas na parede!!!

[Ouvindo: Give Me Back My Man – The B-52’s]
Related Posts with Thumbnails