terça-feira, 16 de novembro de 2004

O Cozinheiro, O Ladrão, Sua Mulher e o Amante


Ainda tô longe de dar uma receita de gaspacho de cabeça, mas adoraria no clímax de uma conversa tensa lascar um "Y una pontita de ajo", mas dou minhas cacetadas na cozinha! Assim ou assado, aliás, assado só se for no microondas, que ainda não rolou um fogão de verdade, desses que vem com forno embaixo, sabe? Quando se sabe que moro sozinho da silva, ou melhor, sem a companhia de outra figura humana, ou morre-se de pena, lamenta-se da solidão ou, na pior das hipóteses, tenta-se arrumar uma esposa. Humpf! E tô pra provar um arrozinho melhor que o meu. Nem minha progenitora, mestre em bife (aquele misterioso pedaço de carne tão simples e por isso tão complicado de ser feito), jamé conseguiu um como o meu. Só não gosto de seguir receita. Prefiro provar ou imaginar um sabor e depois ir criando na mente até chegar ao resultado satisfatório. Não tolero fresco que não come alho nem cebola. E sempre tem um mané que não come alho nem cebola. E há comida sem alho ou cebola? Ou melhor, isso tem um sabor tão gritante assim que chegue a incomodar? Meu, e por favor, não é sua mãe que está te fazendo o almoço, portanto come, agradece e vai com Deus. E aquele que quer colocar queijo ralado(!!!) no molho? Você fica horas e horas bolando um sabor, combinando gostos como se fosse uma orquestra e neguinho vai lá e coloca aquele pozinho cheirando a fanfa e acaba com tudo! Assim, cleck! Num estalar de dedos. E nem me pergunte o que é fanfa, que você deve imaginar muito bem o que seja! "O júri é muito simpático, mas é incompetente."


[Ouvindo: Sittin' on the Dock of the Bay - Otis Redding]

segunda-feira, 8 de novembro de 2004

Short Cuts


No capítulo anterior: Nosso intrépido blogueiro tasca uma boa mochila nas costas e vai chutar pedrinha em outras playas. Continuando literalmente sem lenço e sem documento, colocando sua velha e conhecida boa vontade e ironia à prova. Corte brusco. Passagem de tempo. Vê-se letreiro indicando "um ano depois". Sua tatoo continua sem ser retocada, mas nem perdeu a cor. Hoje já tem uma "comunidade" real e tenta achar graça nas virtuais. Quanto a Orkut, continua preferindo iogurte! Ah! Mas já tô lá também, né? E o tal de Multiply? Tente entrar em http://miguelandrade.multiply.com!!! E a vida continua sendo dolce, dolce, dolce! E chegando em casa, morto de cansado depois de horas a fio tentando ensinar que o botão direito do mouse não serve para absolutamente nadica de nada na maior parte do tempo, sou brindado com quilos do mais puro e doce afeto animalesco! Senhor Boris Bola e dona Glenda Glen Glen dividem novamente o mesmo teto! Oh, fazia quase um ano que não via as duas pestinhas, e agora eles estão tão perto! E a Glen, depois de sua estadia em Itapeva, onde pariu, pelos meus cálculos, uns 15 itapevensinhos de 4 patas, manda dizer que não é piranha, não senhor, mas que num tá pra brincadeira! Hoje vive calminha, sem gandaias noturnas nem nada, mas acabou de parir 5 lindos rebentos. Calculando direitinho, graças às suas escapulidas em terras fundadas por tropeiros, vieram ao mundo nada menos que 80 patinhas peludas, o que é gato pra chuchu, né? E ela andava com um piriri que ce neeeeeeeeeeem imagina! Haja areia higiênica! Putz! Aliás, Putz é a marca mais baratinha e a mais bacana também, né? E o Boris (vulgo Bolinho) que continua correndo atrás de paninhos e todas as outras coisinhas que ele sempre fez, só que agüenta muito menos passear sem pedir colo, e claro, já tá cheio de pelos brancos. E se antes, quando tinha apenas meses, já falavam que ele era velho (devido a sua pelagem de "arame"), imagina agora, com 7 (!!!) anos a mais! Pronto, tá a par dos emocionantes capítulos? Hu?


[Ouvindo: Elis Regina - O Canto de Ossanha
Related Posts with Thumbnails