sexta-feira, 30 de julho de 2004

Um Dia a Casa Cai

E é curioso ter a sua primeira casa, mesmo que seja alugada... Mas ok, enquanto pagar é minha! E oh!!! Nunca me imaginei sonhando em ter uma geladeira só minha! Agora leio encarte de loja de móveis. Menos das Casas Bahia, por motivos que você já sabe, né? Qualquer coisinha, leia uns três posts atrás. E essas casas antigas são bizarrice pura. Todas as tomadas e interruptores são muito altos. Seriam os antigos de estatura mais elevada? Sim, sim, pelo menos eles não tinham PCs, já que não há fio de estabilizador que chegue até eles. Pelo menos achei uma pia de cozinha que bata na minha cintura, e não, como normalmente elas são, nas minhas partes pudendas. Acabava de lavar louça e parecia que tinha feito pipi nas calças. Fora isso, também são uma graça os azulejos da cozinha, psicodelia pura até metade da parede. Ainda não consigo ir ao banheiro sem fechar a porta. Hábitos antigos não acabam assim, de uma hora para outra. E me irrita a descarga daquelas de cordinha, sabe? Sempre acho que vou ficar com ela na mão. Era uma casa muito engraçada, não tinha parede, não tinha nada! Casas antigas possuem a conveniência de serem enormes, pero quando não se tem muitos móveis dá vontade de andar de bicicleta dentro delas! Aliás, não tenho coisa nenhuma, além do Júnior Menezes, TV, vídeo, sofá-cama, fogãozinho de duas bocas (meia boca) entre outras tralhas. Pouco, mas muito para quem chegou de mochilinha nas costas. Tô quase tirando a TV do quarto só pra sala não ficar tão zerada, e achar rapidinho um tapete que esconda aqueles tacos (!!!!) riscados que me dão nos nervos também. E a vizinhança tá me parecendo óoooooootima! Deu 22 horas não se ouve nada! It's oh so quiet. Shhhhhhhhhhhhh, shhhhhhhhhhh... E tem buzão na porta? Tem sim, senhor! Como disse uma amiga, dá pra tomar cafezinho na porta, mandar o motorista parar, guardar a xícara, etc. Nunca tive que pegar ônibus para ir ao trabalho, mas agora até que tá divertido. No primeiro dia peguei um errado que entrou numa favelinha. Turismo sociológico às sete da matina. Observei uma coisa: provavelmente pra fazer demagogia com eles, há um ponto de ônibus a cada 2 metros. Antigamente os vereadores prometiam dentadura nesses lugares, né? Buzão slow motion. Falando em porta, ainda é preciso me lembrar os dias em que o lixeiro passa. Segundo uma tiazinha me disse, terças, quintas e sábados, sempre pela manhã "pros cachorru não virá", como se eu não tivesse nada para fazer antes do meio-dia. E ainda sentir à flor da pele a lei máxima do solteirão: "Se a gente não fizer, ninguém o fará". Se aquela louça suja te incomada, rapaz, se tu não colocar a mão na água fria, pode ter certeza de que no outro dia ela ainda estará lá, sorrindo. Ou a cama, ou o chão sem varrer, ou trocar a lâmpada queimada, a lâmpada acesa, a conta da mesma para pagar, o pó dos livros, a roupa que você acabou de tirar, a toalha para secar...

[Ouvindo: Chico Buarque - Caçada]

quarta-feira, 21 de julho de 2004

Rosalie Vai às Compras

O mundo é das bugigangas! E logo no carro abre alas vem aqueles sebos abençoados por sei lá quem com aquele monte de livros imprescindíveis para nossas vidas que nunca serão lidos, mas sem eles aquele dia tão cinza teria menos graça. Pelo valor ridículo de R$ 1,30 (!!!!!!!!!!) sou o feliz proprietário de As Panteras Acorrentadas!!! Versão em romance de um dos mais famosos episódios de Charlie´s Angels. E sim, Sabrina, Kelly e Jil estão estampando a capa com a escova no cabelóm em dia! E a biografia da Maria Callas? CD do Ed Motta, representante máximo da babaco music, que vale só pelo design da capinha? Gosto daquela seqüência de Clube da Luta quando a mocinha chega em casa com vestido (se a memória não me falha) de debutante. "Custou tão pouco e já foi tão importante para alguém." Não é exagero almoçar a mixórdia do McLanche Feliz (?), ficar com fome o resto do dia, mas ter um personagem da Pixar/Disney super bacaninha enfeitando a mesinha da sala. Nem adianta tentar negociar aquele ridículo X-alguma coisa por um Big Mac que as mocinhas são irredutíveis! E me coço pra não comprar o ET, relançado na época do mal sucedido retorno aos cinemas. Originalzinho e grandão por 14 pilins na lojinha dos Chineses! Só que pra receber este faz-me rir trabalho um bocado, né? Hoje penso no valor das coisas também em horas e não só em reais. Essas lojinhas asiáticas em si já me dão gastura! Precisa ver minha garrafa térmica verde limão, que está me inspirando para a decoração de TODA a cozinha. Sim, sim, sou dono de uma cozinha, e isso me faz hoje em dia, achar graça em utensílios bizarros e Tupperwares. Falando em Tupperwares, e os Softwares? Dá pra não ficar babando em cima daquele programa que você ama em versão ultra mega atualizada que você nem sabe se o Júnior Menezes vai agüentar rodar? Haja garrafas de rum... Supermercado tá virando apelação! Caixa de sucrilhos com relógio (oh!) do Shrek deu pra resistir, mas esponja para banho do Bob Esponja é muuuuuuuuuuuuito legal! E lá tem ainda aquele monte de revista encalhada de uns anos atrás repletas de programinhas jóias! É tudo tão baratinho, quase sempre tão insignificante a olhos alheios... Mas é tão bom aquele gostinho de ter achado um tesouro, uma raridade. Mesmo sabendo que quase sempre ela foi feita em Taiwan por trabalhadores que ganham 2 cents de dólar a hora. Só você achou aquela pequena obra do gosto e/ou utilidade duvidosa. Não basta ser funcional, tem que ser engraçado! Se achar a cabeça do Bozo empalhada, por um preço simpático, não tenha dúvida. Levo pra casa na hora!

[Ouvindo:Towa Tei (Kahimi Kari) - SuperFreak Remix ]

segunda-feira, 19 de julho de 2004

Mamãe faz 100 anos

E tá que este blog festeja dia 19 nada mais do que 2 aninhos? Cacetada! Parece que foi ontem! É post pra chuchu, né? E tô doidim, doidim pra mudar tudo isso aqui, de template a conteúdo, pero sien banda larga aqui em casa necas de piti-biriba! E não é que o blog da Nix, ex-Lilith, subiu no telhado? Oh, me senti órfão... Ele foi o primeiro blog de verdade que vi na vida. Tadinho, tá no cyber limbo a essas horas. Acenda as velas! E isso aqui, como o Beto disse certa vez, a gente cuida como se fosse um bichinho de estimação. O fods é que ele meio que não sai disso... Vou ficar pelado pra ver se o ibope aumenta. Ou despenca de uma vez! Um dos prazeres da minha vida. Ter o blog, não tirar a roupa, of course. Se bem que pensando melhor... Aliás, lilás, vi só esta semana o derradeiro episódio de Friends. Alunos fofos que gravam para o fessor assistir depois!!! Comecei a assistir Friends quando a Sony nem legendava os episódios. E que saco era quando acabava a temporada e tínhamos que esperar meses por capítulos inéditos. Como Chandler lamenta o fim da sofrível "Melrose Place", algo importante de um período de sua vida, chega a ser óbvio o paralelo com a série dos seis amigos do Village. Estava há 3 anos sem acompanhar o programa, mas era bom saber que ele estava lá. Hug? Mas o que me incomodou mesmo foi ver a mesa de pembolim destroçada, e quem me conhece um pouquinho sabe que me aborreci um bocado. Tipo a morte da mãe do Bambi, se é que você me entende. E Friends era aquele prazer secreto no começo. Quase ninguém conhecia. O enlatatão americano aqui tinha cara de descoberta, coisa para poucos. Depois todo mundo viu, sabe, e gosta, ou detesta. Aliás 2, logo após Eu Compro sua Televisão o Ross ainda nem se declarou pra Rachel. Oficialmente no Brasil faltam só 10 anos para ela trocar Paris pela paquera de adolescência. E prazer secreto também já foi Matrix, o primeiro. Hoje, depois de ter me sentido um mané vendo o 3º, não suporto nem olhar a cara do Keanu Reeves, ou até aqueles cafonas caracteres verdes despencando em qualquer lugar. Eich! E Almodovar? Dava pra acompanhar filme após filme sem ter que discuti-los com pseudo-intelectuais. Sempre prontos a repetir que "este é o trabalho mais maduro" a cada lançamento. Se o cara tá cada vez mais maduro daqui a pouco apodrece e cai. Não deve faltar muito... Humpf! E é meio por isso que evito tocar nestes assuntos aqui. Se bem que caí mesmo feito um pato no conto do vigário Matrix, lembra? Uma das minhas vergonhas aqui. Salve Nossa Senhora da Tag Fechada, que é blogueira! E que em muitos outros anos rogai por nóis!

[Ouvindo: Odd Duck - Björk ]

sábado, 10 de julho de 2004

O Nome da Rosa

Sempre achei tudo saber que o segundo nome de uma de minhas irmãs foi tirado da criação mais famosa de Maurício de Souza. A diferença é que o da sorela tem grampinho ao invés de chapeuzinho do vovô na letra "O". A história do meu é curiosa, e me fascinava na infância, já que era inconcebível que um adulto se chamasse Miguel. Me assustava crescer e perder o nome. Era incômodo "Miguel Franoná" (nem me lembro como se escreve isso, e a preguiça de procurar o Dicionário da Globo também não ajuda em nada), o Raul Cortez em Água Viva. Foi assassinado, o que considerei um alívio. Grande Gilberto Braga e seus milionários mortos à procura de um culpado! Mas minha mãe sempre contou que seria Nuno. Oh! Graças a um menino mal educado que morava no apartamento acima, que também era Nuno, sacou Miguel de uma de suas fotonovelas favoritas. Cruel como só as mães sabem ser, me jogava na cara que mudou, mas "por castigo divino és pior que o outro". Miguel gera os mesmos e óbvios apelidos: Mi, Lito, Miguelito. Fala sério! Mi aprendi a gostar, Lito lembra litro, e Miguelito me soa irônico, debochado, etc. Tipo Los Três Amigos. " -Como te chamas? - Miguelito", Laertón saca sua arma e: "POW! Chamavas!" Huahuahauahauahau. Mas dá pra gostar vindo à mente Marylin Monroe, sempre sinal de bom agouro quando a vejo estampada em qualquer lugar (e a vejo muito, acredite!), cantando Heat Wave: "-Chico, Miguelito!". Ultimamente mais ouço Fessor e Professor. Posso estar tomando um cafezinho com um aluno fora da escola e continua me tratando por professor... Nem me estressa, só não tolero "teacher". Dependendo do meu humor (Humpf!) nem atendo. E esse povo daqui que tem sobrenomes complicadíssimos!?! Suor frio na hora de conferir os presentes na classe. Acostumado com o seu, óbvio, me corrige como se eu estivesse cometendo um erro de redundância gramatical. Traz o Záccaro que ele consegue falar direitinho esse monte de g, f, s, meu filho! E todos que têm a idade do meu sobrinho mais velho são Thiago. Com 19/20 anos são Jenifer, Jonatã e eles nunca ouviram falar do casal Heart, olha que absurdo! Seguindo essa linha, seriados clássicos tem a Sabrina, Kelly, Samanta entre outras homenagens a mocinhas de escova nos cabelos. Da música vem alguns Roberto Carlos, quase quarentões. Adolescentes pedem a cada semana para serem chamados por nomes diferentes e na chamada para não se falar sobrenome ou nomes do tipo Maria. Aliás, naquelas centenas de listas amarelas deve ter outros milhares de casos "raros", mas o mais difícil desse ramo é associar tantos rostos com o título que a progenitora lhes achou merecido. Sorte não dar aula para as filhas da Baby do Brasil... Pensou?

[Ouvindo: i love my daddy - ELECTROCUTE ]

Related Posts with Thumbnails